sexta-feira, 19 de junho de 2009

SE FORES ESCREVER-ME, MEU AMOR!



Quando puderes, e somente quando puderes,
Senta-te em frente ao teu micro, enfim,
Digites meia dúzia de palavras ao meu respeito,
E as mande para mim....para mim....

Pois aguardo suas palavras como a flor aguarda a abelha,
Como a noite que é vencida por Aurora, a deusa da Alvorada,
Como o amante à espera do ultimo beijo da amada.
Como o sedento que aguarda o copo da fresca água.

Contudo, não deves faze-lo para me agradar...
Deves fazê-lo por querer fazê-lo e por que este ato,
O ato de escrever-me, simplesmente, tão somente,
Traga-lhe alegria e felicidade intimamente.

Pois não quero nada contigo que seja superficial,
Não fomos feitos para amabilidades insanas,
Convenções sociais tolas e estúpidas.
O relacionar pelo relacionar, aparências cretinas.

Fomos feitos ambos para a verdade e para o amor.
Fomos feitos e moldados no inicio dos tempos,
Quando a noite encobria o cosmos,
Quando o Olimpo era uma mera fagulha
Na consciência de Zeus, o Senhor de todos os gregos.

Então, se lhe deres prazer, escreva-me,
Lerei cada palavra fazendo amor com elas,
Sem importar as emoções que sentirei.
O fundamental, percebas, é que contigo estarei,

Contigo estarei....
Contigo estarei....
Contigo estarei....


... em tudo aquilo que escreveres-me!

5 comentários:

Fatima disse...

Ai Gilberto!
Que trem mais lindo este texto de hoje!
Como é bom ver vc tão inspirado de novo.
Bjs meu querido.

Cris disse...

poesia
mitologia
romance
e alegria

valsam entre as tuas palavras
regidas pelas tuas sábias mãos
de poeta...

Olho para isso e rendo homenagens à você meu querido amigo, porque és um sábio e tem este dom tão lindo de encantar as palavras de lirismo...

meu sinceros e profundos parabéns Gilberto, post lindíssimo esse seu.

beijos

Maria das Graças disse...

Gilberto um lindiíssimo poema.
Os poetas como bem disse Pessoa, são fingidores. E nos convence que sentemo que escrevem de forma tão poética...

E você não foge a essa regra. Mas o que você escreveu é o que esperamos de nossos amores; a espontâneadade em tudo que se refere a nós seja escrever,telefonar e também a fidelidade . No amor não tem imposição mas desejo de se entregar.

Você está em uma bela fase de grande inspiração. Parabéns meu amigo.
Olha,grata pelo dulce Maria (quem dera que eu fosse dulce???). Abraços.

Eliene Vila Nova disse...

oi te achei através do blog da minha amiga Fátima
e confesso amei
lindas palavras, inspiradoras
um final de semana maravilhoso
beijos

Sonia Schmorantz disse...

Há um poema que diz da importância das palavras escritas...diz mais ou menos assim, se disser que me ama, confiarei, mas se escreveres que me ama, acreditarei muito mais, pois quando me for, é a palavra que permanece...
Um abraço e ótimo final de semana.