segunda-feira, 22 de junho de 2009

POÉTICA LÁGRIMA DE SAUDADE



Parto querendo ficar!
Não fico porque a paz já não me faz parte daqui!
Assim, tenho de ir buscá-la em outros prados!
Se não vês lágrimas em meus olhos
É porque as seguro numa teia de dissimulações
Prisioneiras dentro de meu coração!
Suas faces sorridentes estão recortadas
Em contornos perfeitos
E coladas nas paredes de minha memória!
Os nossos sorrisos e gargalhadas são ecos
Ainda frescos em meus ouvidos.
As conversas ainda estão sentadas
Em confortáveis poltronas
Em minha consciência.
Levo-os sempre comigo,
Isto é inevitável
Como um dia que vem após a noite!
Como se esquece quem amamos?
E eu os amo delicadamente,
Dentro da poesia de um momento,
E eu os amo furiosamente,
Dentro da rotina estressante
De nossas vidas...
Vocês entendem o que eu falo, sei disso!
Penso que combati um bom combate,
Fiz de tudo para ser digno à vossa qualidade.
Meu suor misturou-se ao vosso.
Meu sangue molhou o chão que
Pisamos juntos.
Minha dor, foi vossa dor.
Vossa dor, eu chorei junto.
Comemos do mesmo prato.
A água que satisfez às vossas sedes,
Também saciou a minha.
O cobertor que aqueceu seus corpos,
Em alguma noite também
Aqueceu o meu!
Somos mais que amigos,
Eu acredito nisso! Somos irmãos...

Parto querendo ficar...
Perdoem-me, pela fraqueza em não dizer não!
Mas as expectativas do novo
Encantam-me sobremaneira.
E o novo mundo é tão belo
Quanto este antigo que foi meu...

Estarei orando e vigilante por vocês!

5 comentários:

Fatima disse...

Meu amigo,
deste de pequeno nos ensinam que o mundo é feito de escolhas e que sempre devemos nos responsabilizar pelas nossas. Mas precisava ser tudo tão dificil e doloroso?
Ainda bem que tudo passa ...
As vezes esses textos seu me deixam preocupada.
Bjs com carinho.

G I L B E R T O disse...

Fatima, minha querida amiga, infelizmente (ou felizmente, não sei mais o certo!) esse sou eu mesmo... Para bem e para mal, tudo intenso, completo, absoluto, vivo, quente, sangue nas veias, comprometimento.

Não há nada em mim que me faça me entregar pelas metades. Isso é bom por um lado, mas como tudo tem dupla faceta, impere que quem veja saiba olhar o lado correto.

Tua preocupação me lisonjeia e me deixa feliz, somente se preocupam os que amam e sei que tu tens essa capacidade maravilhosa de amar as outras pessoas, o amor em suas diversas formas de manifestação. És uma amiga singular!

Tenho de aprender a ser menos intenso, mas, sei lá, não consigo...

Um beijo em voce também, minha amiga, em seu coração generoso e solidário!

esteja bem com tua familia e com todos os teus!

Cris disse...

Gil,

Há alguns anos atrás eu vi desmantelada uma equipe com a qual convivi por 8 anos.
Teu poema me fez lembrar aqueles dias tristes de duras escolhas.

Mas creio que devemos ser assim mesmo, ser "morno", é colocar a alma para cozinhar em fogo brando, doi demais, já que não se pode parar, melhor colocar o pé na estrada e seguir.

Bjão

Maria das Graças disse...

Gilberto,você descreve com rara beleza o que sentimos em muitos momentos de nossas vidas que temos que fazer nossas escolhas.
Tudo tem princípio,meio e fim. E as vezes esse fim nos dá um sentimento de pesar,pois estamos deixando para trás tantas conquistas e tantos sentimentos que cultivamos com todos que convivemos e fizeram parte daquele determinado projeto de nossa vida. É inevitável deixar correr as lágrimas ou segurá-las.
E é tão bom vivermos a mágia da expectativa do novo,termos um projeto que nos seduz e encanta.

Despedidas sempre teremos...as saudades inevitáveis e felizes quem as tem pois,é o preço de viver intensamente. Sem jamais se contentar com o "lugar comum".

Felicidades Gilberto, meu amigo (se me permite considerá-lo assim).

Um grande abraço.

cidinha.tokefinal disse...

Meu querido e distante amigo,
como sinto saudades dos tempos em que estavamos todos juntos, bons tempos. Mas isso não quer dizer que não possamos viver "NOVOS" momentos.Estamos com saudades!
Venha nos visitar, ficaremos extremamente felizes.
Bjs.