sábado, 13 de junho de 2009

ESCREVO SOMENTE DEPOIS DE TI...


Mi Belle Femme!

Como podes me tratar assim?
Como podes condenar-me por querer escrever-te
Somente depois do que tu escreves?
Não há maldade nisto, my lady!
Não há maldade nisto...

Porque em verdade te digo,
Acostumei-me ao teu fulgor natural,
Acostumei-me a tua espontaneidade,
Acostumei-me a tua maneira de ver a vida,
E, preciso disso para beber de sua energia e então,
Poder mandar minhas coisas... Minhas poesias.

És como uma brisa que sopra num dia de verão.
Não se percebe o quanto se pode estar feliz
Num dia quente,
Enquanto a brisa não chega... Entendes!?

Será que não poderia escrever antes de ti?
Sim, poderia, logicamente que poderia,
Mas não traria a felicidade de sabê-la por perto,
De sabê-la querendo-me por perto,
De sabê-la desejando-me por perto.
Algumas pessoas, mi Belle Femme,
Precisam saber-se queridas,
E não sou diferente delas...
Preciso saber-me querido por você... Por isso,
Escrevo depois de ti... Depois de ti!

Mas sempre buscando igual fulgor,
Mas sempre com igual espontaneidade,
E tentando ver a vida da forma como vês,
Utilizando, idiossincrasia de minha parte,
Lirismo, pois não sei ver você se não for pela porta da poesia...

A mais bela de todas as portas, mi Belle Femme!!!

5 comentários:

Fatima disse...

Oi querido!
Sinto uma alegria voltando?
Que bom!
Bjs.

Maria das Graças disse...

Giberto,como consegue escrever com tanto lirismo, sempre na medida certa. Quanta inspiração essa sua feliz musa Belle Femme... Haja amor!
A cada dia você se supera a única dúvida é se és um fngidor ou se sentes que escreve...

É que isso não é tão importante.O Fernando Pessoa não disse que o poeta é um fingidor. Então o importante são as emoções que sentmos ao ler seus poemas.

Parabéns, Gilberto um poeta de mil talentos. Um grande abraço.

Sonia Schmorantz disse...

Amigos são poemas…
Os verdadeiros amigos são a poesia da vida.
Eles enchem nossos dias de cores, rimas e risos,
nos seguram a mão quando caminhar parece difícil.
Mostram que mesmo em dias nublados o sol está no mesmo lugar,
e nos ensinam que a chuva pode ser uma canção de ninar
nas noites solitárias e vazias.

Um abraço em mais este final de semana, que tudo lhe
Seja bom...

Walkyria Suleiman disse...

Gilberto, cara, o gato/pantera fica um barato na lista de seguidores heim! Hum...dá um charme e um medo!
abraços e nos falamos

Regina disse...

Gilberto, a Maria tem razão...

Quanta inspiração!!

Muito bonito...