segunda-feira, 16 de novembro de 2009

O HOMEM QUE PARTE


Parti...
Segui para a cidade grande
Fugindo de problemas
Que nunca esperei ter...
(E quem espera ter?)
E quem espera ver,
Seu amor,
Seu único e verdadeiro amor,
Dizer-lhe não:
Não ao mais fundamental,
Não ao que é mais natural,
Que é amar e ser amado.


Parti...
Não consegui resistir!
Fui esconder na cidade grande,
Tudo o que as evidências
Insistiam em me mostrar...
Que perdi... Sem sequer combater!
Que perdi... Sem saber que estava vencido!
Ingenuidade?
Simplicidade?
Confiança?
Como saber?
Talvez um pouco de tudo...
Talvez nunca houve nada...
E o que me resta senão indagar?
Questionar onde errei...
Pois, pelo que sei,
Simplesmente paguei
Por querer ser justo!
Por querer ser amigo!
Por amar demais...

9 comentários:

Manuela Freitas disse...

Já passei por tudo isso e a tua poesia é muito transparente sobre esse peso real do desencanto, que se sente.
Um Grande abraço,
Manuela

Cris França disse...

Não se pode apenas partir, pois leva-se você com você mesmo à qualquer lugar que vá.
Esteja bem meu amigo.
Um beijo
Cris

Morgana disse...

eu sempre estou partindo e voltando e partindo...
:)
lina poesia
:*

Fatima disse...

Partir para um novo caminho, fugir um pouco da dor e depois continuar sempre.
Bjs meu querido.

manuel marques disse...

Grato pela visita,o seu cantinho e fantástico.
Volte sempre.

Abraço.

Priscila Rôde disse...

Eu vivo num "indo e vindo infinito amor.." rs

Beijos.

Chris disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Chris disse...

Nas nossas "idas e vindas" sempre deixamos um pouquinho de nós pelo caminho. Essa é a essência da Vida.

Beijos, que seu caminho seja sempre iluminado.

.Lis disse...

Gilberto
O homem está sempre partindo ,fugindo de coisas e pessoas, seus sentimentos o acompanham. é inevitável.
Gosto de suas poesias, tem vivência. Prossiga e breve teremos um livro de poesias nas livrarias. Quero um autografado!!adoro, tenho alma de poeta, mas só sei apreciar.
abraços meus