terça-feira, 17 de novembro de 2009

O HOMEM E O ESCRITOR


Não consigo mais parar de escrever.
É mais forte que eu.
É uma necessidade endógena,
Uma forma de expressão espiritual,
Um carinho em todas minhas carências.
E quem escreve, como eu escrevo,
Quer agradar de alguma forma.
Não é vaidade, é inapto à própria escrita.
Que pai não quer que seus filhos
Tenham suas faces belas?
Ao escrever me pacifico!
Ao escrever sou solitário,
Um eremita no alto de sua montanha.
A escrita me torna conhecido,
Divulga minhas idéias todas
Impregnadas de poesia.
Minha escrita é um arauto da poesia.


Pela escrita...
Eu falo.
Sou ouvido.
Sou aceito.
Sou respeitado,
E até mesmo contestado.
Pela escrita eu me insiro e participo.
Eu sou um, e sou a multidão.
E, ao escrever, fico distante,
Recolhido e sossegado
Em meu canto claro como dia de sol.
Pela escrita uma parte de mim
Quer as estrelas,
Mas outra, mais real,
Quer minha varanda e minhas cobertas.
Que se exalte o escritor!
E o homem fique esquecido
Na pacata sacada de seus poemas...


Foto: Silvia Afonso / olhares.com

13 comentários:

Deusa Odoyá disse...

Olá meu novo escritor.
Você, realmente merece as glória de um escritor.
lindo e muito reflexivo para sua vida esse texto.
Os sonhos são uma porta aberta estreita e, dissimulada no que tem a sua alma.
Seu coração é assim ,cheios de sonhos e poesias,de que tem de mais obscuro e de mais íntimo.
Parabéns, um lindo poema.
Uma semana de muitas realizações e paz.
beijinhos doces da sua nova amiga.
Regina coeli.

Aguardo vc. no meu cantinho.

Fatima disse...

Que bom que vc escreve amigo e cada dia melhor!
Bjs meu querido.

ROSANA VENTURA disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ROSANA VENTURA disse...

Realmente Gilberto, suas idéias são "impregnadas" de poesia!
Como sempre , brilhante!
Continue iluminando nossa leitura amigo!
bjos!
Zana

Morgana disse...

eu também não consigo parar!
:

Fragmentos Betty Martins disse...

._____________olá Gilberto




muito obrigada pela visita - e palavras. volte sempre:)



.percorri

o "caminho" por inteiro________e amei de verdade. voltarei com toda a certeza:)






.




______________///









beijO______ternO
b.semana

Cris França disse...

Mon ami,

a poesia abre as portas
mas como isolar o poeta da poesia?
o homem de suas ações?
creio que sempre será assim
é o preço a se pagar por ser quem és, ter o destino entrelaçado a poesia.

Ósculos e amplexos

Cris

Deficiente Ciente disse...

Obrigada, meu querido amigo, por encher meu coração de alegria e poesia!

abraços
Vera

.Lis disse...

Oi,Gilberto
Lí uma crõnica de José Castelo , citando alguém ,nao me lembro mais que dizia :"Não existem mais do que cinco cores primárias ,mas quando combinadas elas produzem mais matizes do que os que já foram vistos" e ,agora vejo aqui palavras que produzem tanta beleza quando reunidas e o quanto voce sabe faze-las,Gilberto.
Gostei muito, vou levar essa, rsrsrs
meus abraços

Graça Pereira disse...

Ao escrever..."eu sou um e sou a multidão"... Sem dúvida!!
Lindo o teu poema!
Obrigada pela visita.
Um beijo
Graça

MARIA L. BÓZOLI disse...

Obrigada Gilberto.Seus textos são lindos.......Bem vindo!

Estou a lhe seguir.......Abraços

Mahria disse...

Na pacata sacada de seus poemas, eu me deito, e sonho...

Bjs
Obrigado pelo carinho de sempre
Mah

Meus Riscos disse...

Gilberto
Você escreve com a alma. Obrigada pela visita em meu blog.
bjos no coração