sexta-feira, 25 de setembro de 2009


FRAGMENTOS DO DIÁRIO NUNCA ESCRITO POR MIM


[...] e fiz amor com ela! Diferente, singular, para sempre!

Fiz-lhe amor com a calma do cotidiano, com a fúria da novidade. Se eu gritei ou se sorri, eu próprio não sei – não prestei atenção em mim mesmo... – Busquei o meu prazer no prazer dela; meus olhos brilharam, quando brilharam os olhos dela; meu gemido foi um eco do dela. Meu maior egoísmo é dar prazer para ela.... Aih! Ela é tão... Tão... Tudo! Ela é minha quimera domesticada a devorar-me o coração...

A verdade é unicamente essa... Não fiz-lhe amor por buscar prazer, isso soa profano! Fiz-lhe amor pelo simples fato de que a amo, por amor o fazer amor é sagrado!

2 comentários:

versoesdemim disse...

quisera eu ser deseja da forma que tu expressa...
aaaah!(suspiros)
bjs

Gorete . SoLua disse...

Gostei, "Busquei o meu prazer no prazer dela; meus olhos brilharam, quando brilharam os olhos dela" significa que houve reciprocidade.

Amplexos :)