sábado, 30 de maio de 2009

SONETO PARA QUEM AMA ESCREVER


Em 10/01/2007, às 21h11min



Eu escrevo como quem ama platonicamente .
Não busco as emoções intensas de um momento,
Flerto com frases, com vocábulos, um pensamento,
Ansioso pelo texto perfeito, minha mor amante.


Eu escrevo como quem ama platonicamente.
Como quem conhece o amor em sua forma pura,
Está no toque a urgência e a paixão, não na ternura,
É no espírito que o amor se faz plenamente.


Eu escrevo como quem ama platonicamente.
Escrevo para sentir-me vivo, para jejuar,
Para deixar minha alma translúcida respirar.


Eu escrevo e não busco a notoriedade,
A humanidade já elegeu seus poetas,
Escrevo para eleger a humanidade!

2 comentários:

Regina disse...

Tão bela é a arte de escrever...

Escrever é dar vida ao que se vai na alma, é ter coragem para se mostrar quem é...

Muito bom escrever para você!

Grande abraço...

Cris disse...

que isto não seja um poema, mas uma oração do poeta...que a faz intimamente a cada texto que compõe