sábado, 2 de maio de 2009

IDOLOS PAGÃOS



Nos últimos dias tenho me flagrado em estranhos cultos, adorando páginas específicas do livro do meu passado. Neste altar que montei em meu cotidiano, tenho acendido velas por passagens que se tornaram importantes pelo que poderiam ter sido não exatamente pelo que foram – ídolos pagãos para se adorar, reconheço!
Porque vejo o mundo exaltar conquistas e realizações, enquanto eu perco tempo afagando possibilidades que não se concretizaram, sugestões que se foram.... Que se foram.... Sem nunca ter sido!



A brisa da noite me fez algumas sugestões,
A memória sangrou algumas recordações,
Todo meu corpo se estreme num longo arrepio,
Esse tremor chora saudades ou reclama frio?


De repente, sangro feridas que já se encontravam cicatrizadas, todo meu corpo se enche de estigmas, decepo a cabeça de minha paz com amores incrustados no passado, alguns até aconteceram por um tempo, outros foram sacrificados por minha timidez e nasceram natimortos.
Não quero entrar no mérito se esta busca é certa ou errada, se o tempo que perco com antigas sugestões não seria melhor empregado na perseguição de novas perspectivas. Sei que estou sentindo isso e quero senti-lo, quero mesmo acender uma vela para cada uma dessas histórias – homenagem, talvez; um holocausto de velhas histórias?; provavelmente, uma limpeza do velho sótão para se guardar novas memórias... E sentimentos.
Derramo algumas lágrimas – homens também choram!
Deixo latente minha sensibilidade – sem ferir minha masculinidade!
Tampo este velho baú com seus ídolos de barro e o tranco num canto qualquer da inconsciência.
Pronto! Sou um novo homem, marcado pelos signos de meus atos e das minhas omissões, querendo melhorar em todos os sentidos – sobretudo, na sabedoria de amar!

4 comentários:

Cris disse...

Ola meu querido!

E que atire a primeira pedra quem nunca questionou o passado...

O presente é lugar de estar...então vamos tirar o sapatos e tentar ficar a vontade...

Bom fim de semana para você! Beijos!

Regina disse...

Querido Gilberto...

As lembranças fazem parte... tristes ou não, foram momentos importantes que, com certeza, nos fizeram SER e crescer...

De tudo, tiramos grandes lições...

E, apesar dos pesares, o amor deve prevalecer porque é o que nos torna grandes...

Beijos em seu doce coração...

Fatima disse...

Bonitinho,
mensagem para vc:


Engraçado como em nossa vida passam milhares de pessoas a cada ano, essas pessoas chegam nos conquistam e por um motivo ou outro vão...
Alguns dizem que sempre levam um pouco de nós e deixam um pouco de si!
A cada dia plantamos uma nova semente, sem nunca esquecermos de cuidar daquelas que já estão desabrochando!

Amizade é algo divino!
Quem tem um amigo(a) de verdade(quem tem por você um amor incondicional) sabe do que estou falando!

Amigo... Palavra doce, que tem significado de aconchego, de porto-seguro!

Amigo... Aquele que voa junto com vc em seus sonhos, em seus medos...

Amigo... Tanto para dizer-lhe,tanto para agradecer!


Não posso retribuir toda a alegria que me proporcionas nesse tempo de amizade!
Alias posso sim, sendo para ti o que és para mim!


Obrigada por tudo!!!

Bjs.

Maria das Graças disse...

Gilberto, todos nós que vivemos a vida em sua plenitude temos histórias de nossas alegrias e dores.É tão bom abrir o baú de nossa vida! As vezes sorrimos e as vezes umas lágrimas.E daí?

Quem não as tem? Certamente que pena passaram pela vida.

Um grande abraço.