quinta-feira, 7 de maio de 2009

MISTURADOS NO AMOR


Amo-te no tempo e no espaço,
Amo-te no corpo e na alma,
E por tanto te amar, simplesmente,
deixo de existir em mim mesmo,
para viver em você todo o tempo.
Se você não existe,
Eu mesmo não existo.
Pode parecer pequeno
Esta completa sujeição a ti!
Não me condenes por te querer assim...
Sinto-me bem, em saber-te teu!
Amar você me torna grande,
E os grandes não se incomodam
Com as pequenas coisas do caminho!
O que pode ser menor do que algo
Que sugere que esteja longe de ti?
Isso é uma tolice,
Eu estou sempre perto de voce!
Eu te vejo em todos os lugares,
E te sinto dentro de mim,
Dentro de meu coração!
Eis a verdade entre todas as coisas:
Nós somos somente um,
O um dividido em dois seres.
Eu te amo e quanto mais te amo
Mais a mim mesmo me amo!
Vivo agora em crescente
Acréscimo de amor por mim mesmo!
Não me importo com as palavras
E os pensamentos de todos os outros...
Não me importam os dedos acusadores
Que se atiram como facas sobre mim!
Chamam-me de tolo por me
Entregar de uma forma tão absoluta assim!
O que pode ser um homem se ele não amar?
Não é nada...
Sem amor o homem é apenas um esboço,
Um rascunho sem arte final!
Não quero nada deles,
Aprovação, compaixão ou acusações!
Tudo o que quero é voce!
Voce é quem me completa!
Voce é quem me interessa!
Voce é minha estima,
Meu futuro, meu destino!
Calem-se todos, então!
Quero escutar a voz do meu coração,
E ela fala de voce!
Estou bem, meu amor!
Estou comigo mesmo!
Estou contigo!
Estamos misturados no amor!

8 comentários:

Fatima disse...

Ai,ai Gilberto!
Bjs.

Cris disse...

Gil! Depois de ler este poema e não conseguir tirar os olhos da sua pagina pensei...

é blog passarinheiro esse o seu...que arma arapuca de palavras e acaba por prender eternamente os passáros desavisados que vem beber da fonte dos teus poemas...

Mas és tão generoso meu querido amigo...que nos alimenta de tuas coisas tão belas...este poema então...absoluto!

Lindo...

Beijos

Henrique disse...

Querido amigo Gilberto.

Havia algum tempo que eu não postava um comentário, no entanto, não me ausentei, visito regularmente esse magnífico blog.

Falando sobre esse poema, caramba! Como você toca os corações facilmente, me desmanchei ao ler.

Vou por esse poema no meu orkut.


um abraço


PARABÉNS!

Fatima disse...

Amormeuzinho,
para quando vc voltar!

Fábula Do Riacho
Márcia Tauil

Se você quiser
Eu te levo pra um reino distante
E te mostro que lá adiante
Por detrás dessa mata
Há um riacho de água clara
Que na luz da lua
Em noite escura é prata
Mas se a noite é de medo e procura
Nos vem com doçura
Levar a tristeza
Mostrar a beleza
De um peito em flor
E nos faz correnteza
Nas águas estranhas do amor
Então com brandura
Nos faz cometer a loucura

Há flores diversas
Que o vento dispersa
Num chão de aquarela
Estrada mais bela
Que apenas te espera
Se você quiser

Bjs.

Pedro Antônio disse...

Ei, Gilberto!

Ser feliz dá um pouco de trabalho e exige coragem.

Abração forte! E obrigado pelo carinho da visita!

Como todos muito bem disseram: belo poema!

Pedro Antônio

Regina disse...

Querido amigo,

Misturar no amor é uma arte bastante encantadora!

Belíssimo, como sempre!!

Saudades...

Regina disse...

Gilberto querido,

Voltei!!

Para propor um desafio que sei, sairás muito bem!

Dê uma passada no Devaneios, quando puder...

Beijo!

Cris disse...

saudades...