domingo, 17 de maio de 2009

DISCURSO FINAL


Este não é um libelo para os outros,
É um libelo contra mim mesmo.
Devia ter jogado mais papéis no chão,
Ter emporcalhado o mundo com minha sujeira.
Devia ter dito uns palavrões,
Usado um vocabulário corriqueiro.
Devia ter dito menos verdades,
Omitido minhas opiniões,
Apostado na mentira.
Teria sido mais fácil, a verdade sufoca.
Fui tolo. Se tivesse sido um mentiroso,
Teria ganho mais dinheiro,
Namorado mais mulheres,
Teria vendido aquele carro velho quase fundido.
Teria feito menos adversários e mais amigos.
Ah! Que vontade que sinto hoje
De ter esparramado uns boatos,
Uma maledicência aqui,
Uma maledicência ali.
É tão mais fácil puxar o tapete, que tecê-lo!
Não devia ter mesmo respeitado os fatos,
E sim, flertado com factóides.
Agora, fui trouxa mesmo é em ter sido fiel!
Fiel aos meus princípios,
Fiel aos meus ideais!
Fidelidade, o cúmulo da ignorância!
Devia ter esparramado meu sêmen pelo mundo.
Não estou muito certo disso,
Mas parece-me que as mulheres contemporâneas
Valorizam a força da arrogância sexual,
Temem a humildade de um coração sensível,
Não veneram um pensamento sublime.
Eu fui tão cretino!
Apaixonei-me pela essência, abominei a imagem.
Amei a inteligência de Cervantes, Dostoievsky,
Tolstoi, Gogol, Machado, Pessoa, Neruda, Drummond,
Outros tantos... Enquanto o mundo consumia
A nudez das protagonistas da novela das oito.
Arre! Eu detestei novelas!
Nunca fumei, num mundo movido a fumaça.
Nunca bebi, num mundo feito de alegrias etílicas.
Acho que foi por tudo isso que não me acharam simpático.
Por isso as pessoas correram de mim!
Por isso não fiz mais amigos.
O pior é que faria tudo novamente.
Veria de novo os filmes que todos detestavam.
E leria ainda mais livros,
Foram eles os meus melhores amigos.
Como viram, não fui mesmo esperto,
E este mundo valoriza a esperteza,
Vou-me embora sabendo que fiz tudo errado!
Leve-me, Oh “Belle Femme” Beatriz!
Leve-me para junto de seu amado e seus pares,
Quero entabular conversa com
Todos aqueles loucos maravilhosos!

5 comentários:

Fatima disse...

Que amormeuzinho tem esta estes dias? Tá meio tristinho?
Letra de música para expressar meu sentimento por vc.(vc escreve tão bonito,não me atrevo a escrever qualquer coisa).

Por Brilho
Oswaldo Montenegro


Onde vá
Onde quer que vá
Leva o coração feliz
Toca a flauta da alegria
Como doce menestrel

Onda vá,
Onde quer que eu vá
Vou estar de olho atento
A tua menor tristeza
Por no teu sorriso o mel
Onde vá
Vá para ser estrela
As coisas se transformam
E isso não é bom nem mal
e onde quer que eu esteja
A nossa amizade tem brilho
vou ver o teu sinal

Muitos bjs pra vc

G I L B E R T O disse...

Fatima

Confesso: Estou triste!

E minha tristeza sangra nos textos!

Mas estarei bem... Sobreviverei... eu sou um sobrevivente dos dias díficeis... dos que foram... dos que virão...

... Além de tudo, tenho a voce, minhas adoráveis e tudo fica melhor com voces por perto!

Cris disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria das Graças disse...

Gilberto o único comentário que faço de seu interessante texto: a quantidade não significa qualidade. Quem tem a sabedoria de ser seletivo no que lhe agrada e também nos amigos para sua convivência não deve lamentar não terem em sua intimidade a quantidade de mediocridade que existe por aí.

Taí algo que não lamento ter transado com todos os homens que me "cantam" ou considerar todos os meus relacionamentos sociais como verdadeiros amigos...Uns são meus tesouros outros convivência civilizada.

Uma ótima semana para você. Abraços.

Cris disse...

Gil,

Eu so posso te desejar dias mais felizes, e sei que não serve de consolo, também odeio novelas, e sempre achei que vc tem um tremendo bom gosto, e não um gosto massificado.

Fique bem meu querido! Bjs