quinta-feira, 1 de outubro de 2009

NOVA CARTA DE AMOR PARA SER LIDA NUM NOVO DIA SEGUINTE...

Meu amor!
Não me canso de amar você...
Não me canso de fazer amor com você...
Acordei e tu já tinhas ido, apressada, para a vida e para todas as demais coisas. Deixou um bilhete ao meu lado, no mesmo lugar que, momentos antes, repousava teu corpo quente... Teu corpo quente. Li seu bilhete, primeiro com os olhos, depois com o coração. Lindo...

Eu te amo, meu amor, eu te amo!

Sei que já repeti isso uma centena de vezes somente nessa última noite de amor e que deves estar cansada de ouvir isso, mas preciso dizer tantas vezes mais, encanta-me falar sobre você, me renova e me energiza dizer que te amo.

Levanto e abro a janela.

O sol que entra toca e beija meu corpo nu, corpo que foi teu, que foi tocado e beijado por você. Sinto um arrepio intimo percorrer todo meu ser ao lembrar-me de seus beijos em mim. Excito-me com a sugestão de um pensamento do que foi... a noite... a noite... Queria te amar agora!

Sorrio, imagino-te em teu trabalho: documentos a assinar, telefonemas importantes, reuniões, decisões a tomar, diagramas e relatórios para serem analisados, uma rede de assessores trabalhando por você e para você. Por um instante, invejo seu trabalho... Por um instante apenas, porque sei que a noite serás minha novamente. O trabalho te tem na superfície, eu te possuo na intimidade.

Tomo um banho demorado, e um desjejum matinal mais demorado ainda.

Telefono-te e fico em silêncio, você também, ficamos em silêncio, sintonizados numa freqüência que é só nossa.

Eu te amo, digo-te entre suspiros e sorrisos.
Eu te amo, você responde entre sorrisos e suspiros.

Com o olhar perdido nas reminiscências saio para a rua, para a vida, para todas as demais coisas que não interessam que são compulsórias.

No caminho para o trabalho te mando flores, tuas preferidas.

Ao chegar ao meu trabalho, sobre minha mesa, flores, minhas preferidas, você as mandou.

Segue a vida, seguem as horas numa escala totalmente relativa, os dias são longos e demorados, as noites rápidas e maravilhosas, preciso encontrar uma maneira de ter você todo o tempo, meu amor, para mim... Para mim... Para mim...

4 comentários:

.Lis disse...

Gilberto,
Feliz de quem a receber.
Pura poesia dedicados a um grande am or.Parabens,poeta! Tá linda!

Gorete . SoLua disse...

Gilberto,
estou sem palvaras.
Simplesmente maravilhosa!
Parabéns!!!

Doces beijos

Fatima disse...

Muito lindo Gilberto!
Bjs.

Cris França disse...

O olhos escorregam pelo teu poema e a gente vai desenhando as cenas mentalmente, e termina por suspirar de tão bonito que é isso.
Lindo poema.
beijos