sexta-feira, 9 de outubro de 2009

O SONHADOR



Quando o stress do cotidiano
Me assalta,
Imperceptivelmente,
Fecho os olhos,
Suspiro fundo,
E deixo-me levar...
Ganho o azul do céu,
A prata das estrelas,
Beijo sol, lua, o cosmos
Numa viagem magnífica
Que me enleva e regozija.
Meus pensamentos bradam,
Minha criatividade renasce,
E, por alguns momentos,
Sou eu novamente.
Crio novos poemas,
Recomponho antigos versos,
Faço novo o que já se foi,
E que nunca deveria ter ido,
E ter sido permanente... Em mim!
Quando esse transe termina,
Sou um menino novamente,
Sou o aprendiz de poeta
Que um dia sonhei ser.
E enquanto o tempo avança,
E vou me sobrecarregando
De responsabilidades,
Sonho mais uma vez,
Acordado e solitário,
Com um novo transe,
Com um novo meu momento,
Para que eu possa me encontrar
Com o que fui,
Ou o que realmente sou:

Um sonhador!!!

4 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

Quando a rotina faz parecer todas as horas iguais, bom sair da razão e entrar nos sonhos, mesmo em outra dimensão podemos dizer que tivemos momentos felizes...
um abraço

Cris França disse...

Também sou assim, uma sonhadora...
Os sonhos são o meu lugar de ser e de estar, tão melhores que a realidade que insiste em me acordar.
Essa poesia ficou singela e belíssima, e fez o meu dia melhor.
abraços.

BalDocas disse...

Olá,

Tens um Abraço meu para ti no meu cantinho.

Beijo e bfs

Regina disse...

Gilberto, meu amigo, farei como tu!!

Quando o estresse do dia-a-dia me assaltar, vou me entregar aos sonhos mais belos e voar... voar...

Assim como se voa qdo leio seus poemas...

Beijo!!