segunda-feira, 12 de outubro de 2009

AO DIAS DAS CRIANÇAS!!!

O AMOR VERDADEIRO




Algumas vezes, raras vezes, quis compreender o amor, quis colocá-lo dentro de uma redoma de entendimento para apreciá-lo, para evocá-lo (talvez!?) nos momentos que me fossem mais propícios.
Não se entende o amor!
Compreendi isso ao deparar com o amor em sua total plenitude, com sua face mais bela, ao adentrar em sua essência e lá me instalar.
O amor verdadeiro não pede, oferta.
Não cobra, apazigua.
Está sempre disponível, ele aceita o que lhe é dado, é generoso, é humilde, preocupa-se com o ente amado, educa, orienta, aconselha, compartilha, participa, se compromete, conhece somente a verdade e com a verdade flerta, luta para corrigir imperfeições, mostra o caminho da retidão e corre para buscar os desviados, é luz, é paz, é honesto e cobra com justiça.
O amor verdadeiro é tão soberano que mesmo quando caímos, ele está presente em nossas vidas, nos mostrando o real valor das coisas. Ele nos faz felizes mesmo quando tudo ao nosso redor é devastação e loucura.
O amor verdadeiro não se realiza na gente, se realiza no outro. A felicidade do ser amado é mais importante que a nossa própria.
Para quem ama verdadeiramente não existem distâncias longas demais, o ente amado está sempre em seu coração.
Se há lagrimas em seus olhos, elas ficam abençoadas ao se depararem com o sorriso de quem se ama.

O amor verdadeiro é um egoísmo constante às avessas, primeiro o outro, depois nós próprios.
Nunca se entenderá o amor – ainda que se conheça o amor verdadeiro!
Amar de verdade é entrega voluntária, e ao se entregar tudo o mais é periférico, profano, segundo plano – amar é tudo, necessário, fundamental, razão de existir, outras considerações são vãs, desprezadas.
Eu conheci o amor verdadeiro e por este amor morrerei mil vezes e renascerei outras tantas.
Para mim, o amor real se faz em Thayz e Thyago, meus amados filhos!




Dedico esta crônica para meus filhos queridos (Thaty e Thy) neste dia das crianças e para todos os filhos e filhas dos amados amigos e amigas que visitam NEL MEZZO DEL CAMMIM.

10 comentários:

Paola Caumo disse...

Gilberto,
Tua adorável visita ao meu blog iluminou minha manhã. Só posso dizer uma palavra: Obrigada!
Tua frase "O amor verdadeiro não se realiza na gente, se realiza no outro." é uma definição maravilhosa do amor incondicional. De fato, temos muito a aprender sobre o amor. Por muitas vezes somos tolos o bastante para achar que o amor se resume a sentimentos românticos que reflete, a priori, nossas próprisas emoções. Mas a felicidade que vem do amar o outro e no doar-se, sentir toda sua plenitude, essa necessita de muito mais entrega que podemos imaginar.
Parabéns pela crônica e pelos teus filhos e mãe, que te ensinaram essa a vivenciar o amor verdadeiro.
Beijos,
Paola

Maria Izabel Viégas disse...

Gilberto,
lindo texto, tudo que escreves estou aqui. muitas vezs, silenciosa a ler.
tenho como meinha a imagem do que o Amor Verdadeiro é tão grande, imensurável que habita há muito neste mundo, faz parte de nós , é nossa carne , nossa alma, não nos damos conta dele, muitos nem o prcebem...mas ele, está sempre ao nosso lado, dentro de nós, e se manifesta sob a forma de Tudo de Belo que fazemos.
Está nos olhos de nossos filhos amados,no beijo do Amor- paixão que por sorte encontramos e até naquele que não veio e no que foi embora. Sempre existe, mas nem sempre fica no "para sempre". É o amor a doçura que fica na maciez de nossas mãos. e sempre fica!
Dizes:
"O amor verdadeiro não se realiza na gente, se realiza no outro".
Amigo, eu acredito,o amor nosso é maior que o mundo. somos o Amor. Mas é no brilho do olhar do outro que ele se realiza. Melhor para nós quando esse olhar também assim enxerga o amor, então ele é dois, se ompleta.
Ms, fraterno amor quando deixamos nossas marcas e elas se projetam por outros olhos, a realimentar o sonho da Vida, do sagrado mundo.
Beijos querido!
Feliz dia das Crianças, pois aí dentro de teu coração vive eternamente o "teu" menino!
Feliz Todos os Dias e Todas as Noites que no meio deles teimosamente se aconhega!

Fatima disse...

Gilbertomeuzinho,
a gente sabe fazer menino bonito heim?!Que fofos seus filhos!
Feliz dias das crianças pra vc e que Nossa Senhora Aparecida cubra te sempre com seu manto te protegendo de todos os perigos.
Bjs.

Regina disse...

Querido Gilberto!!

Linda sua homenagem! Lindos seus filhos!

Eu não tenho filhos (infelizmente!), mas amor de verdade mesmo eu sinto por meu sobrinho, Thiago e por meus pais também...

É um amor incondicional, realmente, no qual somos capazes sim de, se necessário for, entregarmos nossas vidas por eles, né?!

Que você e seus filhos tenham um felicíssimo dia!! Parabéns, eles são realmente muito lindinhos!

Beijo!

Maria das Graças disse...

Gilberto que bela crônica. Você definiu lindamente o amor maior e definitivamente incondicional que os pais normais sentem pelos filhos. E como mãe de dois filhões posso dizer que conheço esse amor que é uma das minhas razões de viver.

Um grande abraço.

HSLO disse...

Belissimo texto...viu. Feliz dia das crianças para sues filhos e pra você também...afinal nunca deixamos de ser criança.


Abraços


Hugo

Giselle Costa disse...

'Amar de verdade é entrega voluntária, e ao se entregar tudo o mais é periférico, profano, segundo plano – amar é tudo, necessário, fundamental, razão de existir, outras considerações são vãs, desprezadas.'

Perfeito !! amar é algo muito especial. Parabéns pelos filhotes.

Deficiente Ciente disse...

Olá Gilberto!
Palavras sábias, como sempre...
Se a maioria das pessoas pensassem da forma como você pensa, certamente o mundo seria bem melhor, pois teríamos muito mais seres humanos com espírito nobre.
Obrigada pela força e incentivo!!
Seus filhos são lindos! Parabéns!

abraços
Vera

Cris França disse...

Gilberto

Seus filhos são lindos, e o poema está a altura, realmente este é único amor que nos permitimos sentir na totalidade, pois não há medos, nem perdas.

Um grande abraço meu amigo e parabéns pela família!

sezany disse...

Lindo este texto.
Parabéns!!!