sábado, 30 de outubro de 2010

LÍBELO AO REBANHO


Ficaram eles todos, pelos cantos, escondidos,
Amuados, inertes, esquecidos de tudo e de todos,
Compromissados somente com seus interesses
Que, na grande verdade, não eram nenhum!
Covardes, eis o que são!
Vosso sentimento é o de rebanho,
São como gado que pastoreia a sol aberto,
Satisfeitos como porcos de barriga cheia,
Confortáveis como repteis ao banho de sol.
Oh! Gente inútil e miserável,
Sua pequenez somente não é menor
Que sua pouca ambição pela qualidade e excelência.
Cuspo em vossas faces!
Chuto vossa complacência, vossa inércia,
Vosso ócio fétido,
Vossa preguiça endógena e desleal.
Rezo para não ser jamais como vós.
Não quero residir em vossas ilhas de sossego,
Sempre estéreis, desérticas,
Cheias de teia de aranha e a poeira de vossa pasmaceira.
Nunca serão importantes de verdade,
O sucesso e o aplauso sempre lhes serão estranhos.
Vossa utilidade sempre estará na quantidade,
No fazer número, em encher a platéia
Para que outros brilhem.
São, oh rebanho, como gado para abatedouro!
Quero estar com os outros!
Os explosivos, os agitados, os desequilibrados,
Os estressados, os nervosos, os malucos,
Assim chamados por vós!
As vitórias são destes!
As conquistas são destes!
A liderança será sempre destes!
São estes poucos que
Fazem a vida acontecer e
O destino do coletivo e do rebanho
(que são vós!)
Será definido por eles.
À vós, oh rebanho!
Caberá seguir os desequilibrados,
Estes notáveis malucos que tem a coragem
De fazer as coisas acontecerem.
Vossa ousadia natimorta, oh rebanho,
Sempre lhe impedirá de ser algo mais
Do que nascestes para ser,
Agora e sempre...


Nada!!!

16 comentários:

Cria disse...

Grandiosidade de expressão, parabéns, amigo poeta ! Beijos, bom domingo.

Mari Amorim disse...

Gilberto,meu querido amigo,
quando vc solta as palavras graças a Deus,nem a ventania segura!Parabéns!
Há um duplix,lá no blog
Doces ou travessuras?
Boas energias
Mari

Chica disse...

Maravilha de libelo!Profundo e lindo!abraços,chica

Lua Nova disse...

Como uma tempestade varrendo tudo que encontra pela frente! Me impressionou, me libertou, "desopilou meu fígado" como dizia meu pai.
Bravo!!!
Adorei seu comentário no Chocolate. Tava mesmo com tudo entalado na garganta.
Lambeijokas, meu lindo gatto pretto.

Lua Nova disse...

Também to "por aqui" com o Blogger...

ROSANA VENTURA disse...

BÉLISSIMO!!!!
Depois disto, fico até sem palavras meu amigo!
A grandiosidade sempre presente em teus poemas.
Como é bom visita-lo e recebe-lo em meu cantinho!
Bjosssssssss

URBAN.GO disse...

Gilberto amigo, noto aqui algum inconformismo. Talvez politico?
Perdoa se não me localizei bem. No entanto, se de um puro rebanho falamos, nem tudo é mau amigo. O que seria dos belíssimos cães pastores cuja inteligência é por demais admirada?
O que seria deles sem os rebanhos?
E dos pastores?
Deus deu mais inteligencia a uns do que a outros, isso é certo. Agora ... porquê?
Abraço, gostei do post anterior também.

AFRICA EM POESIA disse...

Um beijo e que as eleições e a escolha sejam o melhorpara vocês.
Um beijo

Colecionadora de Silêncios disse...

Meu querido Poeta, mais uma vez vc nos encantou com tão belo poetar! :)

Adoro ler-te!
Beijos

Marilu disse...

Querido amigo, lindo demais!!! Tenha uma excelente semana. Beijocas

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Gilbertamigo

Abomino carneiradas, não gostaria de fazer parte de um rebanho, prefiro a Liberdade, a capacidade de ignorar o cão de guarda, a frontalidade do lobo que ataca frontalmente.

Por isso, fico encantado com estas tuas linhas, profundas, sentidas, um tanto ferozes, mas ternas também, alternadamente.

Amigo

Chego aqui por intermédio da nossa Amiga Lua e estou muito satisfeito por te ter encontrado. O teu blogue é muito interessante, e bem escrito. O que, para mim, que sempre ganhei a vida a produzir prosa tão honesta quanto possível, (sou jornalista e dizem que também escritor, dizem…, e aos 69 anos não me sinto velho) é motivo acrescido de satisfação.

Espero que me retribuas a visita e deixes comentários na Minha Travessa. E, já agora, que te tornes meu (per)seguidor. Não é pedir muito… Obrigado

Qjs = queijinhos = beijinhos

Abs

NB – Peço-te desculpa por este comentário ser tão longo; mas tenho de referir que é um texto base, ainda que com algumas apreciações individuais e específicas. Infelizmente não sou dono do tempo, e a sê-lo seria uma chatice… Para que não haja dúvidas. Mas, é sincero.

Melanie Brown disse...

Da desesperança lhe saiu esse texto não?! Forte. Imagino que deva doer como uma punhalada a quem servir esta triste carapulsa (bem feito!), espero que esteja se sentindo melhor depois deste desabafo. Sinceridade sempre!

Obrigada pela visita, mesmo eu estando ausente de letras no "Sempre", de olhos e de coração estou sempre por lá e por onde sou bem recebida. Me sinto bem aqui!

Abraços e Sorrisos!

Cris França disse...

irrita-me mesmo são os bééééésssss
vazios, e sem ação, embora muitas vezes, por tantas coisas, já tenha me resignado na vida, que em cada dia tem sua luta e sua dor, força a nós, que desejamos mais que ser rebanhados.

bjs mon ami

Valéria Sorohan disse...

Quase um grito. Fiquei maravilhada.

*lua* disse...

Gilberto meu querido, entendo tua angústia e asco. Porém, a inércia sempre estará presente, sentada ali, esperando alguém ou algo que por afinidade, admiração ou amor, a faça sair de seu eixo e experimentar a insana arte de viver. Beijo grande!

Mai disse...

Um texto que é uma clara analogia com a vida, a condição humana, a competição desleal, e óbvio, com o devido protesto e repulsa.



P.S.

Cheguei à ti por incursões na net.
abraço.