segunda-feira, 13 de julho de 2009

A ILHA E O OCEANO


Eu poderia tentar de diversas formas, descrever os sentimentos que habitam em mim,
Eu poderia tentar de diversas formas, descrever as vozes que emanam de meu interior,
Contudo, não perderei tempo com tentativas vãs de traduzir sentimentos que só eu posso entender,
Porque o que é meu, é somente meu, certamente não lhe interessará minhas lágrimas e meus sorrisos.
Porque se fossemos realmente importantes um para o outro, nossa história não teria sido escrita com pincéis de sofrimento.
Resignado choro minha dor,
Sorrio furtivamente da dor, as alegrias de outrora e volto meus olhos para o futuro,
Volto meu espírito para as possibilidades do amanhã, já que o hoje se perdeu numa teia de desprezo e desamor.
Eu acredito em mim e no futuro. Sei que lá, no futuro, está a felicidade que pensei ter encontrado em voce.
Vou peregrinando até ele, vou até este imenso desconhecido buscar toda a estima que perdi aqui nesta ilha,
Esta ilha chamada EU!!!
Uma ilha rodeada de Voce.... Voce.... Voce....por todos os lados!!!!

6 comentários:

Maria das Graças disse...

Gilberto que belo poema. Aliás você escreve muito bem sobre sentimentos.
Agora , penso que a felicidade não está no outro mas dentro de nós mesmos. E assim a irradiamos para os outros. É uma verdade, precisamos nos amar para saber amar o outro.

Abraços.

Regina disse...

Gilberto, meu amigo!!

Sempre arrancando suspiros!! Cada dia se superando mais!!

Linda semana, beijos!!

Fatima disse...

Que trem bonito Gilberto!
Bjs amormeuzinho.

Cris disse...

é preciso sempre seguir em frente
belo texto
beijo

~PakKaramu~ disse...

Pak Karamu reading your blog

KathY CatherYne disse...

Concordo com Maria das Graças.

Temos a tendência de colocar no outro a responsabilidade de tudo que acontece com nós: sejam elas coisas alegres ou não. Felicidade, tristeza, seja o que for, começa dentro de nós. Não acho que alguém que não se ame possa amar ao outro. Não sei, talvez seja por isso que ainda estou sozinha... Sei lá, vai entender.