sábado, 25 de abril de 2009

PEQUENO ENSAIO SOBRE HEMINGWAY


Recebi o livro de Hemingway como se abraçasse a amante, com a devoção de um beato, o tesão de uma virgem. Nestes meus tempos de poucas euforias, estas carícias tornaram-se raras, estimadas e comemoradas como se fossem as últimas (se é que não são mesmo!??).

E, na verdade, a literatura norte-americana nunca foi meu maior prazer, sempre preferi os poderosos textos clássicos franceses e a construção psicológica russa, mas, Hemingway sempre foi um caso à parte, desde que li O Velho e o Mar. Ele nos faz delirar em sua narrativa, parece fazer-nos sentir os sabores todos, e nós, cá deste lado do livro, ficamos em êxtase.

Guardei o livro “Adeus às armas” em minha bolsa com certo desconforto, sim, minha vontade era de tê-lo nas mãos ali mesmo, naquele exato momento, abri-lo definitivamente e penetrar em seu universo. Ah! Que encantamento a leitura me proporciona, é um arrebatamento, um desligar-se de tudo, inclusive de mim próprio. Existem alguns momentos que precisamos esquecer-nos de nós mesmos... Ainda que, por breves instantes.

Para alguns, a vida atrás de um livro pode parecer sem atrativos, um constante stand by. Sinto compaixão por estes que não conseguem ver além de letras num papel; a vida, para estes uns, será sempre uma busca desenfreada por prazeres pagãos, a mundaniedade será a condutora de seus destinos, a urgência o tempo que mais aguardam.

Com os livros, vou muito mais além. Eu os olho e vejo amigos que me visitam para contar algumas estórias. Deixam-me mais culto, melhorado, satisfeito comigo mesmo, os livros alimentam minha estima por mim mesmo.

Bem aventurados os amigos que emprestam/dão livros a estes minha gratidão. Não és gente, anjos que sois, pois me permitem sonhar....




Dedicado ao meu amigo/irmão Odair Chiocca, de Culturama City

Dedicado à minha amiga/irmã Rosimeire Paca, àquela que um dia em minha infância mostrou-me as maravilhas da leitura, foi ela que me deu o primeiro livro (O Pequeno Principe, Exuperry) e por ele, invadiu-me esta maravilhosa arte de ler e gostar de ler.

4 comentários:

Fatima disse...

Gilberto,
como vc escreve bonito!
Lá no meu blog eu comento sobre os livros que eu gosto, ou não, mas de um jeito bem mais simples. Não tenho esse poder todo com as palavras. Vou virar seguidora fiel.
Bjs.

Ps.vai ser um prazer receber sua visita.

Cris disse...

Mon ami!

Amei o "O Velho e o Mar"! Bela a lembrança do autor e fica a boa dica de livro...

Sempre aprendo algo quando passo por aqui, muito gratificante...


Je t'embrasse
Beijos!!

Regina disse...

Querido Gilberto...

Nada melhor do que nos entregarmos ao que realmente nos faz bem à alma...

Ler é viajar no tempo e no espaço sem precisarmos sair de onde estamos!

Beijo, boa semana!

Fatima disse...

Querido,
obrigada pela visita e que comentário mais bonito.
Vc é muito lindo!
Bjs.