quinta-feira, 23 de abril de 2009

O BANCO VAZIO


Sim, o banco está vazio, sai em busca de vida!

Porque me parece que a vida não está mais aqui, em meu próprio mundo, ela está lá fora esperando ser encontrada. Mudei a forma de me vestir, troquei meu sapato bico fino por um tênis confortável. No som só rola pop rock de qualidade, Mozart e outros bichos ficaram um pouco esquecidos em uma gaveta qualquer de meu guarda-roupa. Não leio mais os clássicos, flerto agora com os best sellers da rodoviária, estes livros que se instalam na lista dos mais vendidos destas revistas populares. “To” evitando filosofia, acadêmica e aquelas de botequim, minhas conversas falam somente de banalidades, aquelas banalidades que todos tantos gostam. “To” falando água temperada com abrobrinhas mesmo! Tentei me lembrar de alguma coisa que falei, que realmente prestasse, nestas últimas duas horas e não me lembrei de nada.... mas fazer o que, esta é a minha nova fase, estou em busca de vida, uma nova vida, esta minha anterior andava muito solitária.

Meu ultimo discurso arrancou aplausos, mas meia hora depois ninguém lembrava mais dele. A minha piada mais esdrúxula, coisa mais estúpida, ainda é comentada na Faculdade. Fazer o que? Não me perguntem se acho isso fascinante, não poderia responder. Devo calar minhas opiniões sobre tudo isso, porque, caso contrário, atentaria contra meu novo modelo de vida, meio “estilão” hakuna matata.

É o banco está mesmo vazio... fui em busca de um amigo para sentar nele, comigo, ao crepúsculo. Um amigo que seja romântico e sonhador, como eu, que tenha a visão poética sobre a vida, e tenha empatia com a justiça e a correção nos procedimentos. Que saiba rir comigo, e saiba me recriminar quando cometer minhas pequenas perversões. Quero um amigo que me permita cometer uns pequenos pecadilhos, que seja meu parceiro e meu comparsa nestas aventuras. Quero alguém que seja mestre no “abobrinhes”, que não tenha preocupação com nada, ainda que as preocupações queiram de tudo com ele. Cansei de ficar sentado no banco sozinho, esperando a vida chegar com todas as suas ofertas. Descobri que a vida é egoísta, ela não oferta nada. O jeito é correr atrás e tomar dela aquilo que deve ser seu... e meu!

O banco está vazio...por enquanto....fui atrás de um amigo....fui atrás de vida!

2 comentários:

Cris disse...

Bom dia meu querido Gilberto!

Bom humor é fundamental meu amigo, a vida ri muito da gente..."toca" rir da vida também...

Eu me sinto exatamente assim:
Alguém que não quer nada com a preocupação, embora ela queira tudo comigo...

C'est la vie...o jeito é tentar espremer o sumo desse limão e adoçar com bom humor...

Beijos para vc!

Regina disse...

Boa sorte nesta nova fase...

Beijo!