segunda-feira, 27 de abril de 2009

EU TOQUEI O AMOR...


Eu já toquei meus dedos, algumas vezes, no amor! Já o beijei ternamente e com a fúria do mais intenso dos amantes.


Eu já toquei meus dedos, algumas vezes, no amor!


Sempre questionei se foi o amor verdadeiro, pois há aqueles que defendam que a mulher que amamos hoje, não será jamais a mesma que amaremos no amanhã. Como se o amor fosse várias camisas que vestimos para combinar com essa ou aquela pessoa...


Não vou entrar em concepções filosóficas sobre o amor. Vivo tempos em que ando com a cabeça virada! Na verdade, não ando muito propenso a ficar pensando e escrevendo o amor, tenho saudades dele. Do seu sorriso infantil, do seu corpo quente, de sua piada engraçada, de ficar de mãos dadas com ele, da forma como ele me dava inspiração para escrever poesia. Tenho saudades do homem que fui e que escrevia poesias. O amor transforma as pessoas, transforma as pessoas. Ele sempre te faz melhor do que realmente você é. Ele nos enche de algo dadivoso e sublime que transforma essa imensa casca que somos, enche-nos de pureza, de sentimentos, ficamos mais generosos, mais receptivos, mais atentos às coisas simples e importantes da vida.

Eu já toquei meus dedos, algumas vezes, no amor!


Hoje, ele me fugiu, escapou de mim para algum lugar abstrato. Olho para os meus lados e não vejo as cores, toda a vida em preto e branco, os eflúvios do amor não chegam mais a minha alma. Talvez um dia ele volte, para esta casa que sempre foi sua, trazendo em seu rosto aquele mesmo sorriso lindo, nos lábios aquela velha piada gasta e que sempre me fez rir, e que me faça os mesmos carinhos de antes. Seremos amantes novamente! Eu e o amor! Eu e o amor!


Eu estarei pronto para ti, amor....Estarei pronto para ti!!!

3 comentários:

Fatima disse...

Ai Gilberto, que lindo!
Desejo do fundo do coração que esse amor volte, vc disse que ele te dava inspiração? Meu Deus vc escrevia textos mais lindos?
Vc já é um amor!
Bjs.

Cris disse...

Que lindo texto Gilberto!

Essa força universal chamada amor, sempre transforma quem a toca...mas o amor, esse menino matreiro, às vezes, esconde-se, não tento encontrá-lo, ele é dado a brincadeiras...quando menos se espera ele te surpreende novamente...

Um beijo meu querido!

Regina disse...

Olá, querido amigo...

Hum... Ou muito me engano, ou tenho a impressão de já ter lido este texto aqui!...

Enfim, pouco importa, pois isto não anula a sensibilidade e romantismo que estão sempre presentes em seus textos...

E, aconteça o que acontecer, nunca perca a capacidade de amar...

Beijos, boa semana!