sexta-feira, 3 de abril de 2009

DE IMPROVISO: UM TEXTO!

O texto é um universo... Universo de idéias!
E eu sou o arquiteto do improviso, improviso textos, improviso idéias.
O papel é nada.
A criatividade, a energia em expansão.
De repente, big bang, e há o texto.
Gostaria realmente de ser o mentor de novas idéias, algo que revolucionasse o mundo positivamente, que desse um novo formato a este nosso estilo de vida tacanho.
De grandeza só temos nossa arrogância e nossos sonhos imbecis.
Mas não consigo, sou pequeno para tanto, por isso sigo improvisando idéias. Nisso sou um mestre, do improviso.
Sei que muitos de vocês vão ver isso como mesquinho, alguns até, enxergarão pejorativamente. Não ligo mais para o que pensem todos os outros, improviso é bom, quando se aprende a fazê-lo....e, afinal, é o que eu faço mesmo de melhor!
Se estou triste, improviso felicidade!
Da rotina estressante, improviso uma piada!
Se o espelho acusa-me sinais de velhice, improviso um espírito jovial.
Se as pessoas me sacaneiam, improviso sorrisos, ainda que sejam amarelos.
Improviso, improviso, bom humor, gentilezas, doses de boa educação, uma dialética fácil e convincente, improviso uma revolução por dia no meu trabalho – ser melhor do que fui ontem, mesmo que meu salário não me convença disso!
Sou amante do improviso, sou ele em pessoa.
Minha vida, toda ela, é um grande improviso, os alicerces de minha existência foram construídos sobre esta arte.
Sei que a maioria de vocês prefere a solidez e a certeza do planejamento, mas este não sou eu. Prefiro o improviso, o desconhecido, a lágrima, a gargalhada, a euforia, a depressão, tudo tão verdadeiro, tão delicadamente saboroso como se houvesse sido planejado pela imprevisibilidade da vida.
Não estou apregoando um estilo de vida.
Não estou defendendo uma nova filosofia.
Isto não é mais para mim. Isto nem mais é meu....
Apenas estou improvisando um texto, uma idéia, uma maneira de viver.... O resto são bússolas, eu as rejeito, prefiro caminhar pelo desconhecido sem nada que me tire a atenção da beleza da estrada da vida, ainda que tropece pelas pedras do caminho.

2 comentários:

Regina disse...

Olá, meu doce amigo!!

O poema de Fernando Sabino encheu de luz meu coração, assim como suas palavras... que maravilha ter um amigo assim como você... Agradeço de coração...

Esse seu texto que fala sobre improviso é ótimo! Temos que deixar a vida fluir mesmo, levá-la de um jeito descontraído... Viver intensamente cada momento...

É muito bom ler seus textos, de verdade...

Um ótimo fim de semana!

Beijos!!!

Cris disse...

Olá Gilberto!

É inventando a vida que a vida se faz realidade...lindo texto!

Um abraço e um ótimo final de semana!!