domingo, 25 de janeiro de 2009

ESCREVER É SANGRAR

Não escrevo mais para mim, escrevo para você!

Escrevo palavras doces para serem sorvidas delicadamente pelo paladar apurado de teu olhar.

E, ao escrever, agora, rezo sempre antes. Rezo para que eu seja tocado pela fada da criatividade, para que minhas mãos sejam fiéis e leais aos ditames poéticos de meu coração. Rezo para que meu texto seja belo o bastante, para alegrar você, para tirar um sorriso de seus lábios e que, após a leitura, teu olhar se perca num espaço vazio qualquer de matéria à sua frente, que teus olhos te façam invadir uma dimensão que somente os satisfeitos conhecem e buscam.

Rezo e escrevo para isso, para sua satisfação plena!

Escrevo, escrevo para que meu melhor seja exposto, para que seja ofertado a ti em tua homenagem, neste altar que é o texto. É assim mesmo, nada que saia de mim, estes versos, estas idéias, a poesia, esta grande colcha tecida com palavras, nada disso é mais meu, é tudo teu, tua propriedade para agora e para todo o sempre.

Não escrevo mais como terapia caseira.

Não escrevo mais para satisfazer as minhas vaidades pessoais.

Escrever agora é um convite para ti, para que venhas dançar comigo minha filosofia, minha poesia, minhas idéias. O pensamento é uma música necessária para quem escreve, para quem lê, então, peço apenas que minhas canções cheguem elas, todas elas, à você.

O fundamental é que ainda amo escrever, ainda mais que antes, e os novos motivos são mais nobres e todos eles apontam para você. E, não te confesso isso para render tua simpatia através de uma chantagem branca sintetizada no texto. Escrever é sangrar, dizia Lispector, e pelas fendas deste meu corpo abstrato verte o sangue da minha verdade.

Pode ser que gostes do que escrevo, enfim.

Pode ser que não gostes, é sempre um risco a correr.

Ficarei feliz em saber que a canção que toco tenha chegado ao seu coração e que tuas mãos estejam manchadas com este meu sangue.

Entendas, definitivamente, não escrevo mesmo mais para mim...

... Escrevo para você!!!



Imagem disponível em: http://www.seankernan.com/images/new/written_hand.jpg
Escrita em 25/01/2009, 4h46min.

4 comentários:

lindinha disse...

Gil!Meu amado poeta!meu amigo mais que inesquecivel,obrigada por escrever esses lindos poemas!Jamais deixe de expressar aquilo que sentes através dos textos!Amo!!beijos...

Regina disse...

Incrível, querido Gilberto, como conseguistes, neste texto, descrever exatamente como me sinto quando leio uma bela poesia!!

"Rezo para que meu texto seja belo o bastante, para alegrar você, para tirar um sorriso de seus lábios e que, após a leitura, teu olhar se perca num espaço vazio qualquer de matéria à sua frente, que teus olhos te façam invadir uma dimensão que somente os satisfeitos conhecem e buscam."

Além de poeta, vidente (?!!) rs...

Não... isso tudo só podia vir de uma pessoa sensível, que consegue ver o outro com os olhos da alma e do coração...

Que Deus te ilumine hoje e sempre...

Ótima semana pra ti, beijos, meu querido!!!

leu disse...

Muito profundo e real o seu texto!adoramos o que escreveu demonstrando todo o seu interior e entendemos que parece ter se encontrado nos mostrando realmente a essencia do amor!um grande abraço dos seus Mariza e Leu!

technology disse...

biduoshao
zanghua650
hongyan7530
yueguangshi
yuchangjian