segunda-feira, 5 de setembro de 2011

PEQUENO POEMA EM DEFESA DA FACA

A faca não é cruel.
Cruel é o cabo por onde se empunha a faca.



O fio da faca não é cruel.
Cruel é o metal que lhe dá forma.



O tamanho da faca não é cruel.
Cruel é a solidez que lhe dá força.


Cruéis não são o cabo, o metal e a solidez da faca.
Cruel é a mão que segura a faca.



Cruel é o coração do homem que mata!

2 comentários:

claudete disse...

Aterroriza, mas justifica a imagem e o conteúdo inquietante dos seus contundentes versos ...tão verdadeiros e tao angustiantes ao mesmo tempo...Abraços.

jõao batista disse...

nem a faca nem o fio nem o metal nem o cabo nem a mão são crueis; verdadeiramente cruél é aquele que habita no homem em prol de sua distruição.