segunda-feira, 8 de novembro de 2010

BENDITOS SEJAM OS INOCENTES!


A criança entrou conduzida pela mãe.
Sorriam ambas, despretensiosas da vida, libertas das preocupações mundanas que a vida sobrecarrega as pessoas.
A petiz era a mais atenta, esperta para o caminho que seguia, vislumbrando tudo que para ela tinha o sabor de novidade. Seus olhos brilhavam, refletiam a luz do coraçãozinho encantado, e falava e falava e a tudo o que dizia emprestava seu encantamento e admiração:



“Mãe, olha aquilo...”
“Que bonito isso!”
“Que lugar lindo!”



A mãe sorria, não incentivava, não desaprovava, deixava a criança seguir seu rumo, ás vezes, o melhor que pode fazer uma mãe ao seu filho é deixá-lo ser criança.
Elas passaram por ele e a ele sorriram.
Seguiam conversando e ambas foram engolidas pela boca da grande quimera.
Observando, de onde estava ele pode escutar a gargalhada da pequena divertindo-se com alguma coisa. Sorriu, sozinho, estimulado pelo riso infantil.
Olhou para todo o complexo e buscou a beleza que a criança via, tinha nesse olhar uma carga de boa vontade, tinha no coração uma semente de esperança, tudo contribuindo para que essa beleza se mostrasse para ele em todo o seu esplendor.
Não a viu... Sentiu vergonha por isso!
Olhou para o céu azul, lindo e rezou consigo mesmo e com o Criador de todas as coisas.



“Benditos sejam todos os inocentes que mesmo dentro da cadeia enxergam a beleza!”



Nessa hora, pousou num canto do grande muro da penitenciária um pássaro e trinou uma bela canção.



Regozijou-se! Ele viu a beleza...



... e soube que, para ele, nem tudo estava perdido...

18 comentários:

Valéria Sorohan disse...

Um olhar inocente é tudo.

BeijooOs

Manuela Freitas disse...

Gostei deste quadro cheio de magia e de sensibilidade! É preciso saber ver a beleza que nos rodeia!
Bj,
Manú

Nina disse...

Que inocente e lindo!

Adorei!

bjinhos

Nina

SolBarreto disse...

Lindo...você escreve muito bem...consegue manter um certo ar de misterio para finalizar com algo que nos leva a refletir sobre como olamos o mundo, as pessoas...a vida

Cria disse...

Sensacional, Poeta amigo !

Cria disse...

Maravilhoso, verdadeiramente ! Beijos mil.

URBAN.GO disse...

Bonita crónica Gilberto!
Levaste bem a história pela mão da criança.
Meu amigo essa "prisão" não seremos ... todos nós?
Abraço.

ROSANA VENTURA disse...

Que cronica maravilhosa amigo!
E viva a inocencia...!!!
Bjossssssss

Mahria disse...

Nossa, pela alegria de ambas, jamais darei pra perceber que elas estavam em uma prisão. Felicidade deve ser assim.


Bjs
Mah

:: Mari :: disse...

Na inocência que encontramos a verdade, a beleza, felicidade...
Muito lindo!

Só você mesmo, Gilberto, coisas belas nas entrelinhas.

Obrigado por partilhar gratuitamente seus textos comigo, conosco isso sim.

Bjão

Cris França disse...

vc me inspira. bjs

Carla disse...

Me lembrou o filme "A vida é bela".
Belo texto !!
Parabéns !!

Boa semana

Abraços !

ValeriaC disse...

Que divino querido... absolutamente maravilhoso...realmente a beleza sempre está nos olhos de quem vê, especialmente quando vemos com o olhar de nossas almas...beijos...
Valéria

Fatima disse...

Ah Gilbertomeuzinho!
Vc sempre falndo verdades de uma forma tão linda.
Bjs.

Colecionadora de Silêncios disse...

Que texto maravilhoso, meu amigo Poeta! :)

Esse olhar de inocência é um Bem Divino, né? Lindo!

Beijos, querido.

Melanie Brown disse...

Crianças... Para mim um amor fácil e dependente. Amo que sofro. Também me dá uma pontinha de espernça como aconteceu com este trsite prisioneiro.

Obrigada por escrever!!

:)

Marilu disse...

Querido amigo, lindo texto. Beijocas

Vera (Deficiente Ciente) disse...

Quando comecei a leitura da crônica, nem poderia imaginar que se tratava de uma cadeia.
Concordo com o colega Urbano. Também acredito que esses presos somos nós, os adultos, presos em nossos preconceitos, arrogância, vaidade, ganância... Esquecendo de contemplar a beleza da vida em sua simplicidade, como uma criança inocente.
Meu amigo, você é simplesmente fantástico!

Beijos!