quinta-feira, 6 de setembro de 2012

A MADRUGADA...


para Drúcila

É madrugada...
Penso em voce agora, meu amor!
Sei que dormes, que depositas
em teu colchão todos os afazeres do dia.
Tua cabecinha linda repousas
sobre o travesseiro macio e teus
cabelos é uma cascata negra
sobre o horizonte alvo do lençol.
Teu espírito flutua sobre todas as coisas,
sereno e atento para a generosidade,
a compaixão e a solidariedade.
A noite é tão fria agora, meu amor!
E seu toque gelado arrepia minha pele,
incomoda meu corpo.
Pensar em voce me aquece!
Tua visão é a sugestão de um calor
que nunca conheci.

Fecho os olhos.
Entreabro os lábios.
A imaginação fala...
... e tudo o que ela fala
me traz seu beijo dentro
de uma madrugada fria.


E, de repente,
Não há mais noite,
nem frio,
Nem longe,
Nem perto,
na imaginação...
Voce e eu...
Estamos juntos...
Nos beijando...
Nos amando...

E, para mim...
algo me devolve a atenção
para a madrugada e seus espectros,
a vida se insiste para mim...

E tu, meu amor, acordas
movida por um instinto qualquer...
abres teus olhos insinuada
pela sugestão de um beijo...
olhas para a noite em teu quarto
(o olhar vai além...)
Sentes que fostes beijada por mim!!!

Um comentário:

Urbano Gonçalo disse...

Olá amigo Beto!
Tou de volta, e fiz questão de passar por aqui.
Mais um belo poema.
Porque não fazer um apanhado de tantos e tão bons e tentar ...um livro, meu amigo?!
Abraço.