quarta-feira, 19 de setembro de 2012

A MAIS BELA ENTRE TODAS AS POESIAS




                                                                                                   para Drúcila Reis

Amanheci com vontade de te fazer poesia!
Mas a poesia... a poesia não me veio...
Olhei pela janela e um raio de sol escapava
Por uma fresta da cortina,
O verde não estava tão verde devido
A longa estiagem,
E os pardais faziam uma algazarra
Ocultos nas copas das árvores.
E a inspiração.... a inspiração não nascia em mim...
Como se faz poesia se a inspiração te diz não?
Fechei os olhos.
E, lembrei da noite passada.
Teu beijo.
Teu sorriso.
Tua mão delicada sobre minha pele.
Tua face colada na minha face.
Teus sonhos se misturando aos meus sonhos.
Meu coração descompassado com tua presença.
Minha felicidade dançando no palco de meu rosto.
Continuei de olhos fechados...
A poesia é mesmo assim...
Às vezes elas não nos vêm,
Não nascem em nós como margaridas nos jardins.
Mas quando penso em voce, meu amor!
Quando penso em voce...
Tudo dentro de mim floresce e canta poesia.
Meu coração se torna um sol,
Um jardim verde de relva e colorido de flores
Arranja-se em cada canto de meus sentimentos,
E todos os cânticos de pássaros comemoram
O amor que nasceu em mim.
Eu gostaria de te declamar todos os dias poesia,
Mas, quando elas não vierem,
Por rebeldia ou por estarem entretidas com
Outras coisas,
Olhes nos meus olhos e verás que
Sou todo poesia...
E, quando te beijo...
Quando te abraço...
Quando te toco de mansinho...
É poesia que estou te declamando!
Porque te amar me faz bem,
E te amar é a mais bela das minhas poesias!

Um comentário:

Urbano Gonçalo disse...

É poesia meu amigo!
E esta tá ... no ponto.
Abraço.