segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

A GRANDE SACOLA DAS HORAS


Escuto cada segundo cair na grande sacola das horas,
E o tempo, para os que escutam mais,
Observam mais,
Aprendem mais,
É um grande aliado, um amigo.
Eu aprendi com o tempo coisas sobre você.
E tudo o que o tempo me ensinou é que
Tua amizade é maldita,
Teu sorriso feito de bela porcelana branca
Guarda um abismo que é um poço sem fundo.
Acreditar em seu sorriso é uma queda sem voltas.
Tua tranqüilidade é a minha insegurança,
Tua insegurança é o meu desespero,
O meu desespero é a canção que anima tuas horas solitárias.
Sei que tu se alimentas de minha dor,
Minhas lágrimas são a bebida preferida para tua sede
E as bebes em uma fina taça do melhor cristal.
Ah, teu abraço feito de bons perfumes e seda cara
É feito da mesma argamassa que os beijos
Do Apóstolo Judas em Jesus.
Mas, tu não és Judas...
A traição de Judas custou trinta moedas,
Tu és barato, trais de graça.
Sei que conheces a amizade
Mas tua amizade só conhece a você.
Ao teu lado, não vês ninguém, e, na tua frente
Há o belo espelho da Madrasta Má
Que te reflete em todos os instantes.
Ainda escuto cada segundo cair na grande sacola das horas
Comemoro a sabedoria do tempo e a paciência que ele me traz.
Aprendi com a sabedoria que
Não podes mais me fazer qualquer mal,
Entre mim e tu existem dois totens,
E ambos me protegem de voce.
Um deles é o espaço e, sem dúvidas,
Tu podes vencê-lo!
O outro é o próprio tempo,
E este... Não vences jamais...


Escuto os segundos caírem na grande sacola das horas,
E, a sabedoria que o tempo me traz,
Leva-me para mais longe de ti...

8 comentários:

Cris França disse...

O tempo é o senhor de todos nós. bjs

this is me disse...

Dizem que o bom poema é aquele que invés de lermos ele é que lê a nós. Perfeito

Fatima disse...

Grande bjs!

Confissões de uma borboleta disse...

Que beleza...o tempo numa grande sacola, escorrendo como lana, pesado, ou leve como areia...bela metafora. Beijos

URBAN.GO disse...

A sabedoria que o tempo trás é sem dúvida impagável, pena é que a nossa vida, o nosso tempo seja ao fim e ao cabo muito curto.
Abraço.

ROSANA VENTURA disse...

Que lindeza de poema!
saudades suas em meu cantinho!
bjosssssssss

ErikaH Azzevedo disse...

Amar desassosega, desinquieta, revoluciona..e eu pergunto, o que é o tempo pra quem ama?

Lindo teu poemar, amar bonito assim é privilegio de poucos, para os que amam e mais ainda para os que são amados

Bjos ao menino

Erikah

Colecionadora de Silêncios disse...

Olá, Gilberto.

Passando para matar as saudades dos seus lindos versos. Amei!

Poema maravilhoso! O tempo, de fato, é o senhor de tudo (só não o obedece o amor... rs).

Beijos, querido.