terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

ANTES QUE CHEGUE AO RIO

Quero teu beijo antes que chegue ao rio,
Antes que o som das suas águas escorreguem no meu corpo,
Antes que a noite caia sobre mim com seu hálito frio,
Antes do toque fresco da brisa que vem do norte
que traz todos os segredos esquecidos
de todos que já se foram.
Eu ainda me lembro de quando pisei
A relva fresca e o seu verde brilhou na
retina dos meus olhos,
Quando meu corpo brilhou sob o sol de janeiro e
o calor queimou minha pele.
Ah! O bronze herdado foi o dourado de cada
pedra preciosa que se fixou em meus dias.
Dias... dias.... Meu maior tesouro foram meus dias.
Minhas vaidades foram plantadas na beira da estrada,
Minha juventude correu pelas águas valentes e foi
desaguar num lago plácido e tranqüilo.
Minha fé foi semeada com a grande castanheira
e hoje ela no topo acena flertando com os anjos,
Todas as minhas lagrimas irrigaram as flores do campo,
e este ano elas desabrocharam com mais vida
dando cheiros e cores para a floresta.
Quero teu beijo antes que eu chegue ao rio.
Ainda que todos os passos sejam lentos
meu destino é um só e chega lépido,
A vida não mais me espera,
Ela escapa pelas frestas de minha existência e
vai se juntar à brisa...
Adeus... Adeus minha memória!
Que tu se juntes ao poderoso carvalho e
sobreviva dentro dos anos e das gerações.
E que tudo o que eu tenha realizado
seja lembrado como uma bela flor
que renasce em cada primavera.
Que eu ressuscite em todos os setembros!
Beije-me, beije-me, agora, pois será para sempre,
No próximo segundo serei apenas a brisa...


O rio... quero teu beijo antes do rio...
Antes do rio...
Antes do rio...
Nada mais haverá para mim depois do rio...

Foto: Recolhida na internet

10 comentários:

Fatima disse...

Oh sodade do cê viu!!!
Bjs.

Manuela Freitas disse...

Gil acabei de ler uma bela poesia e me enterneci com a força do teu lirismo!
Beijos,
Manu

Sonhadora disse...

Meu querido

Lindo como sempre o sentir que cantas em palavras.
tenho saudade.

Ana Sofia Varela

Cris França disse...

O rio pode ser muitas coisas...

Há rios que unem e rios que separam, mas todos eles tem sua beleza e seu mistério.

abraços

Cria disse...

IMpecável expressão, parabéns !

Lis disse...

Oi Gilberto
lindo lindo lindo
sentimentos que deságuam simplesmente
como um beijo
adorei

deixo abraços e saudade daqui

Regina disse...

Querido amigo,

Teus poemas transbordam sentimento e amor... Sua sensibilidade é fascinante...

Beijos, estejas sempre bem!!

P. S.: Tentei enviar-lhe um vídeo lindíssimo que recebi, porém, o e-mail retornou... Verifique se sua caixa de entrada está lotada. Bjs!!

Vera (Deficiente Ciente) disse...

Saudade de você, meu amigo...

Quanta inspiração e sensibilidade nesse texto extraordinariamente poético!

Beijos!

claudete disse...

Lamento profundo...gritante e terno.Meu querido tudo se eterniza no nosso olhar , nas nossas alegrias, nas nossas dores...como é bela a tua composição...desfila diante de nós e nos convida a entrar neste momento mágico! Abraços.

Glorinha L de Lion disse...

Há quanto tempo não vinha aqui, meu amigo...esqueci de como é bom navegar nessas águas, nesse rio que corre pro mar em forma de poesia...amei, beijos,