sexta-feira, 16 de julho de 2010

O VELHO E O CÓRREGO

Em pé, ao lado da margem do córrego, o velho homem observava as águas em seu movimento contínuo e intrigante, estava pensativo, entretido consigo mesmo, meditando sobre a vida e todo o seu caleidoscópio de eventualidades – viver é sofrer, pensava, mas, ficar inerte para a vida é mutilar-se, breves filosofias introspectivas.

Nunca foi para a vida um grande filósofo, na verdade, nem entendia o que significava esta palavra acadêmica, para ele viver sempre foi ajuntar um dia após o outro, uma experiência após a outra, aprendendo com os dias, aprendendo com as experiências, buscando acertar mais e errar menos.
Era um dia de outono, e fazia algum frio.

A água corria despejando um barulho com uma sonoridade bela e relaxante. Observou o movimento de alguns pequenos peixes em busca de alimento; perdeu-se por alguns instantes, de olhos fechados no cantar de um pássaro ali perto; a brisa gelada tocou-lhe a face descoberta do rosto e encontrou o calor de um sorriso; sentiu as folhas mortas do chão emprestarem um movimento do vento que soprava; as águas seguiam seu curso, pensou, a natureza seguia seu rumo, o tempo seguia seu fluxo, nada para de verdade, sentenciou.

Na estrada, um jovem passou lépido e o cumprimentou. Reconheceu-o, de um tempo longínquo que ficou incrustado no passado, águas que passaram. Devolveu o cumprimento com um aceno de cabeça, estava envolvido com suas próprias coisas, não quis ser indelicado, apenas estava perdido em suas considerações sobre a vida, gostava de se dar este tempo para aprender com suas vivências comparando-as com as demais experiências que colhia ao seu redor. Fazia isso intuitivamente, sem maiores alardes, sem exibições, sem reflexões filosóficas, apenas sentindo a necessidade de se envolver com a própria vida.

Pensou na sua existência, tentando perceber seus ganhos. Não era rico, estava longe disso, muito longe. Não tinha conseguido grandes estudos, mal e mal assinava o próprio nome. A família era pobre e estava distribuída pelo mundo, cada qual tentando vencer do seu jeito, honestamente. Mas, entendia que ele tinha alguma importância para todo o contexto, pois olhou a água que passava e que acabara de mover o moinho; sentiu novamente o cantar do pássaro que alegrara seu coração e de muitos outros mais mundo afora; viu o vento mover as folhas, o que seria das folhas sem o vento? Diante da simplicidade de todas as coisas e a importância que elas demonstravam ter na natureza, teve a certeza de que também ele, veio ao mundo para construir algo de bom – sentiu-se importante com essa sugestão, e a impotência que o pensamento original sugeriu desvaneceu-se feito nuvem de pó.

Partiu!

O córrego ficou para trás assim como todos os pensamentos que se foram levados pelo regato do tempo. O tempo é como o rio, a água que vai, não volta mais; segundos que moveram o moinho da vida, não voltam mais. Sorriu, admirando-se com a própria sabedoria.



Entrou em casa e sua velha o aguardava frente ao fogão de lenha, tirando uma velha chaleira do fogo e servindo-o uma quente xícara de café.

- Por onde andastes, meu velho, estava preocupada...

Ele sorriu, sem responder, ao testemunhar a importância que a velha, o amor de sua vida tinha para ele. Assim como ela nascerá para ele, ele, de sua parte, nascerá para fazê-la feliz. E tomou um generoso gole de café, antes de dar um beijo na face de sua amada de toda uma vida.

Foto: www.olhares.com

27 comentários:

Eliana Pessoa disse...

Coisa mais linda esse texto fiquei muito feliz em ler!
Vida simples tbm é muito importante principalmente se vivida ao lado do seu amor da vida inteira!
Beijo obg!

♥.•:****-franciete-****:•.♥ disse...

Há meu querido a vida não pára, a vida é um carrossel, e nós rodamos com ela. Ainda não é manhã e logo se faz noite, ainda ontem andava a quatro e logo, logo, já ando a três.
Não podemos dormir no ponto, pois o barco vai embora e só o voltamos a ver na curva da vida.
Tudo isto só para dizer, tenha umas lindas e merecidas férias, e aproveite tudo de bom que a vida tenha para lhe dar. Pois este corpito só cá passa uma vez.
Beijinhos de muita paz e muita luz

Broken Rose disse...

lindissimas palavras, muitos parabens :)

urban.go disse...

Olá Gilberto!
Agradeço sempre que encontro alguém que sabe escrever ... tu sabes, parabéns.
Muito bonito este trecho, será ele parte de uma história maior?
Sei por experiência, que escrever sobre esta faixa etária não é fácil, escrevi há já algum tempo um romance cujo personagem principal também era da mesma faixa etária deste teu, daí valorizar a maneira subtil e meiga que tu muito bem utilizaste.
Gostava de te convidar a visitar o meu blog, lá encontrarás excertos do meu romance, e para além disso ... gosto de boa companhia.
Espero que aceites deixo aqui o link:
odelicadosomdosilncio.blogspot.com
O delicado som do silêncio
Abraço, fico a aguardar mais coisas como esta, fica bem.

legalmente loira... disse...

Gilberto querido,
sempre muito bom te receber.
fiquei encantada como que li aqui.
foste agraciado como dom da escrita.
perfeitooooo.
tenha uma otimas férias...a gente espera sua volta.
com carinho e bjos.

ValeriaC disse...

Que tocante este texto amigo...me encantaram este tecer de palavras...
Mesmo diante da "aparente" simplicidade de tudo, quanta sabedoria podemos encontrar...lindo demais ver que tudo e todos estão interligados no universo...que bom despertar e olhar com os olhos da alma e sentir...a beleza há em tudo...
Tenha um lindo final de semana!
Beijinhos...
Valéria

*lua* disse...

Olá Gilberto,
Esse texto me faz refletir um pensamento meu antigo, de que existem pessoas tão especiais que mal sabem escrever o próprio nome e nunca frequentaram uma igreja e mesmo assim possuem uma sabedoria supra, ímpar, sensibilidade para retirar de nossa vida respostas que nós que nos auto denominamos intelectuais somos incapazes de converter em raciocínio e para fechar, essas mesmas pessoas possuem uma espiritualidade tão fantástica que muitos os que frequentam os bancos de igrejas todos os dias iriam ofuscar a visão ao ver tanta luz dentro de alguém. Beijo

Sonhadora disse...

Meu querido amigo
Quanta sensibilidade no belo texto, que é sentimento.
Adorei.

beijinhos
Sonhadora

Gorete . SoLua disse...

Texto lindo!
Demonstrastes que a vida ao lado de alguém que amamos é importante.
Adorei.

Doces beijos :)

Vera (Deficiente Ciente) disse...

Fiquei encantada com esta crônica, Gilberto!
Quanta sabedoria, simplicidade e humildade nesse personagem. Maravilhosa a indagação a respeito do sentido da existência humana. Este, com certeza, é o verdadeiro sábio.

"...ficar inerte para a vida é mutilar-se..."
"...para ele viver sempre foi ajuntar um dia após o outro, uma experiência após a outra, aprendendo com os dias, aprendendo com as experiências, buscando acertar mais e errar menos."
"...apenas sentindo a necessidade de se envolver com a própria vida."

Quantas lições podemos aprender através destas reflexões, meu amigo. Obrigada por este momento!

Beijos!

ROSANA VENTURA disse...

Meu querido amigo poeta, me emocionei com este texto...de verdade...lembrei de meus avós...nem sei porque, tem dias que a saudade dói...
Lindo demais, perfeito.
bjos

Fabrício Santiago disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através do Blog do Mar Íntimo. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. Estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs



Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.


Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.


Abraços

http://narroterapia.blogspot.com/

Cris França disse...

pois é meu amigo, estou envelhecendo...bjs

:: Mari :: disse...

Lindo como sempre, rsrs

Gilberto querido, os comentários não são somente generosidades não. É o que realmente sinto. Seus textos são simples, tocantes e emocionantes, que fica dificil não senti-los a flor da pele... Amo tudo que você escreve viu?

Obrigada pelo carinho de sempre, e também por dividir essas pérolas comigo e quem vem aqui.

Bjos

Mari Amorim disse...

O Amor nunca deverá ser responsabilizado por dores,perdas ou danos e tem amplos poderes para neutralizar todas as batalhas, sejam elas emocionais, familiares ou sociais...FELIZ DIA DO AMIGO,
BOAS ENERGIAS!
Beijos,
Mari Amorim
Brincando Com a Rima

legalmente loira... disse...

PRA VOCE O MEU CARINHO

Queria dizer que eu poderia pegar
uma mensagem qualquer e te enviar, mas preferi colocar algumas palavras
para VOCE que é a pessoa que me faz bem, esta presente nos meus dias
bons e ruins e me faz companhia através dessa tela.

Chorei com
algumas histórias, chorei de tanto rir, fiquei triste com partidas, mas
sou mto feliz com VOCE que me deixa fazer parte da sua vida e divide
comigo seus momentos.

Muito Obrigado por sua confiança, sua
amizade...
Receba sempre meu Respeito, Carinho e Atenção. Gosto mto
de VOCE.

FELIZ DIA DO AMIGO

Bjo carinhoso..

Pat. disse...

Querido Amigo Gil

Obrigada imenso pelo teu carinho!
És um encanto nas palavras...

Beijo grande!


Que estranho, comentei teus últimos posts e não aparece o comment... coisas do blogger ;(

Pat. disse...

Querido Amigo Gil

Obrigada imenso pelo teu carinho!
És um encanto nas palavras...

Beijo grande!


Que estranho, comentei teus últimos posts e não aparece o comment... coisas do blogger ;(

Sil.. disse...

Um dia eu sonho em viver um amor assim.

Gilberto, tava com saudade!

Um beijãoooooooo, meu querido!

Patrícia Lara disse...

Olá, Gilberto.

Que texto maravilhoso!

Emocionei-me ao lê-lo. Parabéns pela sensibilidade.

Abraço,
Patrícia Lara

Sonhadora disse...

Meu querido amigo
Que maravilhoso e terno texto, escrito com a alma de poeta, adorei.

Beijinhos
Sonhadora

Fabricante de Sonhos disse...

Que texto liiiiiiiindo!
Tão singelo, tão mágico...

A vida passa, escorre por nós, como águas de um córrego, nunca é... Senpre está...
E o tempo... Nos arrasta tanto!
Paasa por nós, e as pessoas tb. Estamos intimamente ligados às pessoas... A todas elas...

Olha, estou encantada.

Sempre um prazer te ler!

Um beijo com carinho...
Milla

ஐ¸.*Lady *.¸ஐ disse...

Belíssimas palavras que acabei de ler.
A alma fica encantada.
Obrigada pela visita.
Feliz dia do amigo hoje e sempre!
Tenha uma noite de muita paz.
Com carinho, Lady.

legalmente loira... disse...

gilberto querido,
lindo seu carinho no meu espaço eu agradeço.
é um amigo do coração.
seu texto esta mais lindo hoje.
lindo dia com boas férias.
bjos.

Vanessa Souza Moraes disse...

Água e pensamentos são uma boa alegoria.

Valéria Sorohan disse...

Apanhei os sonhos de muitas experiências de vida...prosa bela e envolvente.
Feliz com sua presença em meu novo blog.

BeijooO

Cria disse...

Hoje vim te ler de novo ... Um belo texto, verdadeiramente ! Beijo, poeta amigo.