sábado, 5 de junho de 2010

O AMOR GUIA SEU POVO


à Katia

Minha querida e minha vida
Nestes dias de confusão e loucura
Tenho pensado muito no amor,
Tenho pensado muito em você.
Será que me entendes, minha querida!
As coisas são mesmo assim
Dentro do meu coração,
Não posso pensar amor
Sem que eu pense em você.


E, nestes dias onde a razão se perdeu
Onde a dor pintou os muros de Lisboa,
Onde tropeçastes sem querer na normalidade
E caístes dentro da loucura imbecil,
Reconheci você no meio da tempestade,
Te vi como Delacroix viu sua musa liberdade.
Estavas no olho do furacão
Seminua e empunhavas um estandarte
Bordado com fios de ouro
A dignidade e a decência.
Os ventos da traição te chicoteavam,
Teus pés pisavam as vísceras
Daquilo que foi tua vida
E ainda se percebia alguma nódoa
Em teu belo corpo de tuas lágrimas
(e das nossas...)!
Mas tu avançavas, meu amor, tu avançavas!
Teus passos esmagavam
A inércia, a dor e o sofrimento.
Teu seio balançava nu sob o sol de Odivelas,
As roupas em farrapos testemunhando tuas lutas,
Demarcando com fortes cores tua força e dignidade.
Seguias... Seguias... Seguias...
Apesar de tudo e de todos, seguias!
Fostes forjada com a coragem de Roma
Nas fornalhas de onde saíram seus maiores heróis!
Nada abate os guerreiros, meu amor, nada!
Nada fará com que pares!
As noites de Odivelas não ouvirão teus lamentos,
Teus ais serão enterrados no teu passado,
E teu sofrimento servirá de argamassa perfeita
Para teu novo começo, novo destino.


Agora é noite aqui, meu amor!
Minha lagrima se prende no
Negro firmamento de Fátima do Sul!
Mais uma estrela que nasce neste céu...
Hoje eu choro saudades,
Saudades de você, meu amor!
E minhas saudades têm o tamanho
Deste Atlântico que nos separa.
Ela começa aqui, neste coração dolorido,
E termina aí, contigo!
Lisboa hoje saberá,
E seu povo saíra para as ruas
Para comemorar o amor e a poesia.
Lisboa hoje saberá,
Quando leres meu poema e meu sentimento,
O quanto te ama este teu irmão!!!


Ilustração: Quadro de Eugene Delacroix, A Liberdade guiando o povo (La Liberté guidant le peuple), 1830

9 comentários:

Sonhadora disse...

Linda homenagem...um belo poema.

Beijinhos
Sonhadora

Mari Amorim disse...

o vento afaga
o cabelo das velas
que apaga
Bom final de semana,
Boas energias sempre!
Mari

Eliana Pessoa disse...

UFA QUE LINDA HOMENAGEM!
ADOREI LER!

katiasam disse...

Olá Meu querido e amado MEU!
Acho que esta homenagem não poderia ficar sem ser comentada. Obrigada! Não queria em momento algum que sofrestes com o meu sofrimento e chorasses as minhas lágrimas! Mas uma coisa é certa: se estou bem hoje é graças as tuas palavras... de incentivo... de alento... de sabedoria... de conhecimento... como já te disse, ninguém neste mundo, me conhece como você me conhece. Tudo o que dizes e descreves acerca de mim é a mais pura e cristalina verdade. Nenhuma cartomante, pai de santo, ou sei lá mais o que, conseguiria descrever-me assim... Acho que esta homenagem deve cá estar, não a tires, nunca. O que sou hoje, a mulher em que me transformei hoje foi lapidado desde os primórdios da minha existência. Apesar dos sofrimentos, das dificuldades, sempre tive ao meu lado as pessoas as quais me espelhei, por serem simplesmente, as melhores... me ensinaram todos os valores de que necessito para sobreviver neste mundo, muitas vezes cruel.A mãe, a nossa progenitora e você meu único e suficiente irmão, sangue do meu sangue, carne da minha carne. Amo-vos muito. Amarei enquanto houver um único indício de consciência em mim... a distância é de fato muito grande, mas estamos unidos pelos nossos corações... sempre... gostava que fosse só nas alegrias...um grande beijo recheado de carinho.

Chica disse...

Maravilhoso poema! Adorei o nome do teu blog.Sou casada com um italiano,por isso gosto muito da língua.

E só pra te avisar: O certo em italiano é CAMMIN , talvez houve um erro na hora da escrita. abração,tudo de bom,chica

ROSANA VENTURA disse...

"...não posso pensar em amor, sem que eu pense em voce....", ah ,meu amigo, só voce mesmo para escrever essas coisas divinas!
bjosssss

Cris França disse...

que lindo é ver o amor entre irmãos, isso é sagrado.

abraços

:: Mari :: disse...

Ah querido amigo,

Linda homenagem, lindo texto, emocionante de se ler.
Como sempre você foi perfeito!

bjos

ROSANA VENTURA disse...

Oi meu amigo poeta, tem mais selinho lá proce!
bjos