domingo, 17 de fevereiro de 2008

Quero repetir TUDO,
Como se o TUDO não houvesse acontecido.
Quero brincar que o TUDO foi um grande nada.
Para que este grande nada, transformemos,
Novamente, em TUDO.
Sei que isso é impossível, meu amor!
Porque TUDO existiu de verdade,
E renasce a cada momento
Em meu pensamento.
Mas quero me enganar com esta pequena mentira,
Que TUDO jamais aconteceu,
Que o TUDO não foi seu, nem meu,
Que existiu num instante de um sonho
De uma noite de verão.
Prefiro imaginar assim...
Preciso imaginar assim...
...pois, da próxima vez, e todas as outras
Vezes que o TUDO for acontecer,
Seremos novamente virgens para este sentimento.
E, ao sermos virgens para este sentimento,
Reviver TUDO de novo e de novo,
Em total plenitude!
TUDO, para nós, minha querida,
Será sempre a eterna novidade,
Onde nada acontece...
Onde TUDO acontece...

Um comentário:

Adna disse...

Realmente tens alma de poeta meu caro,Tens um dom maravilhoso concedido Deus,aprecio muitissimo suas poesias,e algumas até parece ser real.Parabéns por conseguir dar vida aos seus textos, isto é algo importante ao leitor.