quarta-feira, 10 de agosto de 2011

PORTUGAL: PRIMEIRAS IMPRESSÕES

Passadeiras (Portugal) - Faixa de pedestres (Brasil

Está muito quente o verão europeu.
É um calor abafado, baixa umidade e mesmo para um homem dos trópicos como eu, acaba sentindo a sua intensidade.
Mas, não reclamo jamais, prefiro sempre o calor ao frio. O aeroporto de Lisboa é enorme, e demorou "pacas" para pegar o visto de entrada no País. Conosco, mamãe e eu, foi tudo tranquilo, os brasileiros têm grande facilidade para entrar em Portugal.  As avenidas e as ruas são muito limpas, tudo que é público é organizado e bem cuidado. Os peões (assim são chamados os pedestres) possuem sempre privilégio no trânsito, pisou na passadeira (faixa de pedestre) e os automóveis automaticamente param. Os autocarros (ônibus) são novos e não se vê lotações dentro deles ou desespero para pegá-los, como, por exemplo, vi em São Paulo, ainda que, a bem da verdade, em São Paulo tudo é superlativo, tanto nas benesses, quanto nos problemas. É relativamente barato para se trafegar no transporte público em Lisboa. Por 12 euros você faz um cartão chamado “LISBOA VIVA”, é necessário exato 24 horas para se obtê-lo sem maiores burocracias do que a apresentação de alguns documentos, endereço e foto 3x4. O grande barato é que se o indivíduo se apresentar sem foto, existe uma máquina do lado do guichê que fotografa por 3 euros com impressão em minutos – praticidade pura. Ao ver esta máquina, lembrei-me imediatamente do filme “O fabuloso destino de Amelie Poulain” quem assistiu, sabe do que falo.  Enfim, conquistado o cartão Lisboa Viva, você compra uma senha por 42 euros, chamada passe, você tem acesso ao metrô (aqui eles chamam de metro) e a toda rede de ônibus, sem pagar mais nada. Este cartão também dá desconto no cinema, no oceanário e em outros locais bastante interessantes. A arquitetura é diversificada, o velho e o novo misturam-se sem maiores problemas. Não existem praças feias e ou mal cuidadas em Lisboa. São todas belas e sempre apresentam algo de chamativo que convida a todos para conhecê-las. Outra coisa que vi diferente são as refeições, o Português gosta de comer bem e muito, e os jantares possuem as entradas, os queijos, os molhos e ou as sopas, e, fundamentalmente, um bom vinho de acompanhamento. Feita a refeição, não é raro toda a família dirigir-se para um café, para tomar um expresso bem encorpado. Todavia, separando este aspecto de aprendizado que uma viagem como essa sempre traz, existe o sentido maior que é o sentimento que nutro por este País que sempre fez parte de mim, minhas raízes estão encravadas aqui e conhecê-lo é um sonho realizado. Todas as emoções estão sendo fortes e deliciosamente saboreadas pela minha sensibilidade, e, já sofro agora, pelo dia que terei de partir, mas, deixa isso para o momento oportuno… não vou ficar sofrendo de véspera, não é mesmo? Chau!!!

2 comentários:

Fatima disse...

Se vc esta feliz eu tb estou Gilbertomeuzinho!
Bjs.

Henrique Duarte disse...

Quanto tempo não passo por aqui... Fico feliz com essa sua viagem a Portugal, sonho em conheço esse nosso país irmão. Parabéns por isso! Me sinto feliz por você.

um grande abraço!


E mantenha contato!