sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

O ADEUS...


E agora, o que eu faço com teu adeus?
Onde o coloco?
Em quais gavetas de minha vida ele deve ser depositado?
Não sei o que faço com teu adeus... Não sei...
Não me ensinastes, nem me falastes destas coisas.
Não me educastes para viver sem você.
Me falastes de união, de sonhos, de esperanças, de amor,
Nada sei de adeuses e separações...
Deveria ter dito para mim, logo na primeira vez,
Que seria assim...
Que me diria adeus...
Que o sol esfriaria e que as flores perderiam o perfume,
Deveria ter dito que eu ficaria estéril para a poesia.
Deveria ter dito que eu conheceria o amor e o fazer amor
Em toda a sua plenitude rica de possibilidades,
Mas que um dia,
Em um dia qualquer amarelo e comum,
O amor fugiria de mim por uma fresta do destino,
Uma fratura em minha vida feita pelo teu adeus.
Adeus... Adeus... Adeus...
Dito pela mesma boca que cantou “eu te amo”,
Sussurrado pelos mesmos lábios que recitou poesias
E deu-me gemidos de prazer entre lençóis sensuais.
Não sei o que fazer com teu adeus... Não sei...
Ele não ilumina.
Não me ama.
Ele não me aquece.
Ele não me empresta poesia.
É um intruso. Instalou-se num canto nobre de minha vida,
Exibido, mostrando sua força destruidora.
Portanto, devolvo teu adeus.
Ele em nada me serve. Não o aceito.
Teu adeus me separa de você e, separar de você,
É algo que não cogito,
Não consigo imaginar-me sem voce.
Devolvo teu adeus, sonhando com tua volta.
Talvez, seja apenas uma ilusão de minha parte.
Devolver teu adeus, não necessariamente, eu o sei
Garantirá teu retorno para nosso jardim.
Mas, esta ilusão me acalma...
Teu adeus não, definitivo demais.
Com esperança, eu vivo!
Com teu adeus... Jamais!

12 comentários:

HSLO disse...

É chato o adeus...eu não gosto.

abraços

Uni ver sos disse...

Que canto triste, meu amigo!
A vida é feita de chegadas e partidas, muito 'adeus' entre uma coisa e outra,
o que resta ao poeta é a sua poesia, e esta está magistralmente sentida e registrada..

abraços poéticos!!

Ester.~

Daíse disse...

O adeus é um senhor muito ranziza e intrometido! Não gosto dele!
Belo poema!
Bjos!

ELIANA-Coisas Boas da Vida disse...

O ADEUS É COMO SE PERDESSE PARA SEMPRE ALGO MUITO BOM!
LINDA POESIA UM TANTO TRISTE ,MAS BEM BONITA!
BEIJO

Cria disse...

Triste ... mas emocionante !!! Beijo, poeta amigo.

SolBarreto disse...

Lindo, triste mas lindo!
"Teu adeus não, definitivo demais.
Com esperança, eu vivo!
Com teu adeus... Jamais!"

Regina Laura disse...

Gilberto, hoje esse texto me pegou de jeito.
Mesmo sabendo que o adeus faz parte da vida, tem algumas despedidas que nem posso e nem quero imaginar na minha.
Por enquanto, todos os 'adeus' que dei já foram suficientes.
Lindo texto...
Beijo grande querido

SolBarreto disse...

Eu vejo os selinhos que recebo como admiraçao, e assim os repasso...
Admiro muito seus poemas, seu Blog.
Deixei um mimo para você no meu Blog espero que goste!
Passa la http://palavraspelocaminho.blogspot.com/2011/01/mais-selinhos.html

Fatima disse...

Como é bom ligar meu computador e receber sua mensagem,
me desejando um bom dia, ou uma boa noite,
ou um ótimo final de semana, ou um "Olá que saudades!" ou...
"Já volto, me espere" (essa é a minha preferida...rs).
Você passou a fazer parte da minha vida.
Você é muito importante pra mim, nunca deixe de ser meu amigo,
mesmo distante dos olhos, mas dentro do meu coração.
Obrigada pelo apoio, incentivo, carinho e principalmente, por você existir!
Te adoro, meu querido amigo especial....virtual e real!
Bjs.

Cris França disse...

adeuses são sempre tristes, não importa se damos ou se recebemos

são despedidas, dos sonhos, das cores, da vida que já foi e que não é mais

adeuses são tristes, por isso é preciso viver os momentos com toda intensidade, porque eles passam e quando passarem, a gente tenha a certeza, de que aquilo que se viveu, foi maior que a despedida.

beijos

Cris

Vera (Deficiente Ciente) disse...

Sua poesia tomou conta de mim como se fosse uma música, Gilberto. Li e reli várias vezes, pois é exatamente o que estou vivendo.
Nunca gostei da palavra adeus, sempre preferi dizer "até mais, até logo..." Mas há momentos na vida em que não temos alternativa...

Perfeito como sempre, meu amigo!

Beijos e um 2011 de muitas felicidades!

Regina disse...

... e quem é que nunca teve que dar um adeus assim, tão doído e sentido?!!

Um adeus é sempre um adeus...

Querido amigo,

Que 2011 possa brilhar para você e que a poesia continue sendo sempre o seu guia, a sua razão de viver, de encantar, de nos fazer sorrir e chorar...

Um beijo!